Sem entrosamento e um pouco confuso na saída de bola, o time reserva do Coritiba deu uma guinada na etapa complementar diante do Corinthians, em Araraquara, e assumiu uma postura ofensiva que chegou a assustar o time da casa, principalmente depois do empate aos 28 do segundo tempo. Corajoso, o grupo comandado por Marcelo Oliveira provou que, mesmo na derrota, teve equilíbrio para pressionar e não desistir da partida.

Ponto que, segundo o treinador, foi a principal marca do time na rodada: a persistência e a perseverança em buscar o resultado foram destacados por Oliveira, que se mostrou satisfeito com o rendimento do time em campo. “Tudo me agradou um pouco, o fato de a gente ter levado gol cedo e não se desesperar. Gostei da personalidade, da perseverança. Gostei pela certeza que temos um grande grupo”, apontou o comandante alviverde, ressaltando as boas apresentações dos estreantes Willian Leandro, ex-Corinthians-PR, e Djair, das categorias de base.

Se na tabela do Brasileirão a situação preocupa, já que, ao lado de Atlético-PR e Avaí, o Coxa ainda não pontuou, os objetivos se resumem, pelo menos durantes as próximas duas semanas, à concentração total para a conquista da Copa do Brasil. “Era um risco programado: o Brasileiro tem tempo de se recuperar, a Copa do Brasil são dois jogos pra entrar pra história do clube”, tranquiliza Oliveira, que garante força máxima para consolidar o que seria uma das conquistas mais importantes do clube. “A gente muda a concentração e canaliza todas as energias pra final. Nós vamos lutar e criar estratégias, vamos fortes pro Rio”, frisou.