O jovem Willian, de 22 anos, será a aposta do Coritiba para substituir uma das principais peças do time no meio-campo. Leandro Donizete está vetado e o jogador, torcedor declarado do Alviverde, sabe da responsabilidade que o espera para o jogo contra o Vasco. Para o jogador, o controle psicológico tem sido um desafio nessa fase que antecipa a possível conquista do Verdão.

Monique Vilela/Banda B
Willian e o irmão Guilherme: paixão pelo Coxa vem de família

“Não é só um trabalho psicológico meu, mas de todo o pessoal. O próprio Tcheco, que é um cara que me ajudou bastante, falou pra eu ter tranquilidade e acertar as primeiras bolas”, contou o jogador, que vem recebendo o apoio irrestrito do técnico Marcelo Oliveira. . “Você tem que ter a confiança do treinador para um jogo como esse”, destacou Willian, que sai das arquibancadas, onde via o time do coração jogar, para entrar em campo e armar as jogadas que podem levar o Coxa à Libertadores.

“Há doze anos eu estava do lado deles. Pra mim tá sendo muito importante não só por eu ter sido torcedor, mas sim por eu estar realizando um sonho de estar no profissional em um grupo como esse e disputando uma final de Copa do Brasil”, enfatiza Willian, de família coxa-branca.”Minha mãe tá muito feliz por esse momento. Vou deixar o Guilherme [irmão] em casa, por causa do frio. Queria que ele entrasse comigo em campo, mas em pensamento eles estão comigo e me apoiando como sempre”, finalizou o volante.