Divulgação/Coritiba
Sereno, treinador prevê dificuldades contra o Galo, que terá a seu favor a Arena da Jacaré tomada de torcedores

Mineiro do sotaque à personalidade tranquila, o técnico do Coritiba, Marcelo Oliveira, enfrenta nesta quinta-feira (17) o clube que o projetou para o futebol nacional. Criado nas categorias de base do Galo, o hoje comandante alviverde conhece como poucos a realidade do time mineiro e espera dificuldades no jogo decisivo da 35ª rodada.

Mesmo longe do clube há algum tempo, o técnico acredita que a experiência adquirida enquanto era cria do Galo adianta alguns fatores. “Ajuda. Dá pra saber que vai ser muito dificil. O Atlético é muito estruturado, tem muita garra e uma torcida que respeito muito e que o empurra o time”, elogiou o treinador alviverde.

A gratidão pela história que Oliveira construiu no Galo pode ser sentida no primeiro turno, quando o Coxa bateu o time mineiro por 3 a 0 no Couto Pereira. No fim do jogo, o técnico alviverde deixou o campo aplaudido pelos torcedores do Atlético. “Existe um respeito e admiração mútuos pelo tempo em que eu lá estive, mas nesse caso o torcedor vai estar ligado em incentivar e empurrar o Atlético”, prevê.

Arma do Galo

Um dos principais destaque do Galo na luta contra o fantasma do rebaixamento vem de terras alviverdes. O lateral Triguinho, ex-Coxa, só poderá entrar em campo nesta quinta-feira (17) caso a diretoria atleticana pague uma multa de R$ 100 mil. Em alta com a cúpula do Galo, o jogador está próximo dessa possibilidade, já que foi até relacionado pelo técnico Cuca para a partida.