Valquir Aureliano
“É um momento que todos os jogos são decisivos e complicados, porque todas as equipes ainda têm um objetivo”, defende Emerson

Mesmo na zona intermediária da tabela, o Coritiba descarta qualquer conforto nesta reta final de Brasileirão. Longe disso. O discurso ainda é unânime quando o assunto é classificação à Libertadores. A oito pontos do G5, o Alviverde tem pela frente um adversário já bastante fragilizado pela zona do rebaixamento. O que também não tem a ver com facilidade: entre os jogadores do Coxa, o América-MG simboliza um time que já não tem outra alternativa se não arriscar para tentar livrar a pele da Série B.

“Assim como foi diante do Bahia, o América será um franco atirador, que não tem nada a perder”, analisou Jeci, que deverá ser mantido na zaga mesmo com o retorno de Luccas Claro dos Jogos Pan-Americanos. “É um jogo difícil, mas estamos em casa e temos nossas metas na competição. Temos que entrar para vencer”, completou.

E para manter a hegemonia nos domínios do Couto Pereira, a atenção vem em primeiro lugar. “Nenhum jogo no Brasileiro é fácil e temos que entrar ligados, e buscar essa vitória para continuarmos brigando no Brasileiro”, defendeu Rafinha. Dono da defesa, Emerson argumenta que o momento do campeonato é decisivo e que, por isso, mesmo adversários mais prejudicados na tabela têm poder de reação. “É um momento que todos os jogos são decisivos e complicados, porque todas as equipes ainda têm um objetivo”, finalizou o zagueiro.

Coritiba e América se enfrentam pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro neste domingo (30), às 18h, no Couto Pereira.