Divulgação/Coritiba
Marcelo Oliveira quer usar as três partidas disputadas com o Dragão como lição para não repetir erros

O Coxa já sabe: contra o Atlético-GO todo cuidado é pouco. Junto com o São Paulo, o Dragão é um dos que conseguiu derrotar o Verdão nos seus domínios, justamente na largada do Brasileirão. Mais de três meses depois, o Alviverde quer devolver a visita indigesta e ser o sexto time a vencer no Serra Dourada no Brasileirão. Das oito derrotas do time goiano no campeonato, cinco aconteceram em Goiânia.

No confronto que hoje vale “seis pontos”, o Coxa não pode nem pensar em perder, sob pena de ser ultrapassado pelo Atlético-GO, que tem apenas um ponto a menos (25). Como já se enfrentaram três vezes em 2011, conhecimento mútuo não falta: são duas vitórias do Alviverde e uma derrota. “Eles têm um bom time, bem comandado, um contra-ataque muito forte e a gente tem que estar atento a isso”, apontou o técnico Marcelo Oliveira, destacando o caminho que o Coritiba tem que seguir para bater o clube goiano.

Como marca do time, o treinador destaca as mudanças, tanto de movimentação quanto no esquema tático durante o andamento da partida. O grande problema, ainda, é a falta de pontaria. Ainda que o time tenha o segundo ataque mais eficiente do campeonato, com 32 gols, e seja vice-líder nas finalizações, com média de 15 arremates por jogo, as chances perdidas já custaram pontos preciosos para o Coxa.

“Eu acho que a gente tem criado muitas situações, temos feito muitos gols, às vezes concentrados na mesma partida, e precisamos definir melhor”, avaliou o técnico, dando um conselho: “Temos que lembrar que o gol de bico também vale para matar um jogo, para definir o jogo”, emendou.

A Banda B transmite Atlético-GO x Coritiba a partir das 20h, com narração de Fernando César.