A missão não era fácil e todos sabiam. Mesmo assim, o torcedor acreditou, lotou o Couto Pereira e incentivou o time. Os jogadores lutaram, se entregaram e não desistiram. Mas o empate em 1 a 1 com o Palmeiras, na noite desta quarta-feira, deixou o Coxa novamente com o vice-campeonato da Copa do Brasil. Isso porque, na partida de ida, o Porco venceu por 2 a 0 e o empate foi o suficiente para a taça ficar com a equipe paulista.

O Coxa fez um primeiro tempo nervoso, sem conseguir furar a forte marcação imposta pelo técnico Luiz Felipe Scolari. Na etapa final, no entanto, o Coritiba cresceu, abriu o placar, mas logo sofreu o empate, e aí precisaria fazer 4 a 1 para sagrar-se campeão. A partida, desde então, esfriou um pouco, e ao apito final, a festa foi alviverde – mas do paulista, e não do paranaense.

Nervoso em campo, Coxa é envolvido pela marcação do Palmeiras

A grande novidade na escalação do Coritiba foi a presença de Jonas na lateral-direita ao invés de Ayrton, que ficou no banco de reservas. Com uma grande festa vinda das arquibancadas, o Verdão entrou em campo empurrado por mais de 30 mil torcedores, e após o apito inicial de Sandro Meira Ricci, foi pra cima do adversário, já que precisava vencer por três gols de diferença para ficar com o título da Copa do Brasil.

O Palmeiras só se defendeu nos primeiros minutos do duelo, numa tentativa de controlar a empolgação inicial do Coritiba. Apesar de jogar retrancado, o Porco estava mais bem organizado em campo e teve a primeira oportunidade clara da partida, em belo chute de Daniel Carvalho, que Vanderlei colocou para escanteio. Aos poucos, o jogo foi ficando bom para a equipe paulista, que tinha mais posse de bola e explorava os contra-ataques, finalizando mais que o Verdão Paranaense.

O meio-campo do Coritiba errava muitos passes, e como Everton Ribeiro estava apagado na partida, o time da casa não conseguia criar boas jogadas de ataque e ainda levou alguns sustos em arremates do adversário, principalmente em lances de bola parada de Marcos Assunção. Aos 28 minutos, a melhor chance do Coritiba em todo o primeiro tempo: Everton Costa invadiu a grande área e tocou para Rafinha, que chutou arrancando tinta da trave de Bruno.

O Coritiba não estava bem em campo e era envolvido pela marcação do Palmeiras, o que foi deixando os atletas paranaenses nervosos em campo. Perto do fim do primeiro tempo, o Coxa se lançou com tudo ao ataque, mas de maneira desorganizada, e não conseguiu abrir o placar, mantendo o 0 a 0 nos 45 minutos inicias – exatamente o que a equipe paulista queria, já que tinha a vantagem de ter vendido o confronto de ida pro 2 a 0, na Arena Barueri.

Coxa volta bem, abre o placar, mas sofre o empate e perde o título

Com Ayrton na vaga de Jonas, o Coritiba voltou para o segundo tempo pressionando o Palmeiras em busca do primeiro gol. A torcida se empolgou e sentiu o bom momento do time, que ao contrário da etapa inicial, conseguia ser mais eficiente no ataque, obrigando o Porco a se fechar na defesa. A equipe paulista, bem atenta na marcação, não dava moleza para os atletas do Verdão Paranaense.

O Coxa era melhor na partida, tanto que, aos 16 minutos, Ayrton cobrou falta com perfeição, no ângulo direito, sem chance para o goleiro Bruno: 1 a 0 Coritiba, e a torcida explodiu nas arquibancadas do Couto Pereira. O gol colocou fogo no jogo, e logo aos 20 minutos, Marcos Assunção retribuiu o lance de Ayrton e também cobrou falta com categoria para Betinho desviar e empatar o duelo: 1 a 1.

Após o gol palmeirense, alguns torcedores do Coxa foram deixando o Couto Pereira, enquanto a torcida paulista fazia festa na casa do Coritiba. Era preciso fazer 4 a 1 para levar a taça para o Alto da Glória. Com a vantagem e perto do título, o Porco apenas foi administrando o empate até o apito final, enquanto o time da casa lutou, se entregou, mas não conseguiu alterar o placar, e pelo segundo ano consecutivo, foi vice-campeão da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA
CORITIBA X PALMEIRAS

Local: Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Data: 11 de junho de 2012, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)

Árbitro: Sandro Meira Ricci (FIFA-PE)
Assistentes: Carlos Berkenbrock (FIFA-SC) e Alessandro Matos (FIFA-BA).

Gols:Ayrton, 16 do 1ºT (COR), Betinho, 20 do 1ºT (PAL).
Cartões amarelos: Juninho, João Vítor, Artur, Marcos Assunção, Henrique (PAL) e Lincoln, Rafinha (COR).
Cartões vermelhos: Pereira (COR)

CORITIBA: Vanderlei; Jonas (Ayrton), Pereira, Demerson e Lucas Mendes; Willian, Sergio Manoel (Lincoln), Everton Ribeiro e Rafinha; Everton Costa e Roberto (Anderson Aquino).
Técnico: Marcelo Oliveira

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Thiago Heleno (Leandro Amaro) e Juninho; Henrique, Marcos Assunção, João Vitor (Márcio Araújo) e Daniel Carvalho (Luan); Mazinho e Betinho.
Técnico: Luiz Felipe Scolari