Por João Pedro Alves

Atual tetracampeão e dono de uma hegemonia no estado, o Coritiba está fora da final do Campeonato Paranaense. Favoritismo, maior investimento e o fator campo não foram suficientes, e na tarde deste domingo (30) o time alviverde ficou apenas no empate em 1 a 1 com o Maringá no estádio Couto Pereira. Resultado insuficiente para reverter a vantagem de 2 a 1 feita pela Zebra no jogo de ida e que fez com que o “caçula” do interior se classificasse para a decisão da competição.

Em festa com a vaga, o Maringá começa a decidir o título estadual no próximo final de semana contra um adversário ainda não definido. O concorrente à taça sai do confronto entre Atlético e Londrina, que se enfrentam no meio de semana pelo jogo de volta das semifinais.

Com o fim do sonho do pentacampeonato, o que resta ao Coritiba agora é focar nas competições nacionais que tem na temporada, a Copa do Brasil e a Série A do Brasileirão.

Ouça os gols da partida narrados por Caio Junior na Rádio Banda B:

0091 – CAMP PARANAENSE – CORITIBA X MARINGA – 1 GOL CRISTIANO – 30-03 – CAIO JR 0092 – CAMP PARANAENSE – CORITIBA X MARINGA – 2 GOL LUCAS CLARO – 30-03 – CAIO JR

Precisando vencer, Coxa vai para cima e pressiona, mas único gol é anulado

Com a derrota por 2 a 1 no jogo de ida e a necessidade de reverter a desvantagem para chegar à final, tudo levava a crer que o Coritiba iria para cima do Maringá desde o início do reencontro no Couto Pereira. Foi o que acabou acontecendo. A obrigação de vencer por dois ou mais gols de diferença para levar a vaga, aliada ao fator mando de campo, fez com que uma pressão alviverde fosse imposta.

O sistema defensivo maringaense tentava diminuir os espaços e evitar que o time coxa-branca encontrasse facilidade para chegar à meta do goleiro Ednaldo. Se comparado ao volume de jogo alviverde, houve alguma dificuldade. Mas não o suficiente para evitar que chances fossem criadas. Como em um chute de forte de Robinho de fora da área e uma cobrança de falta de Alex que o camisa 1 foi buscar na gaveta.

Enquanto o Coritiba insistia, tentava e retentava tirar o zero do placar o mais rápido possível, o Maringá encontrou uma brecha. E devido à postura ofensiva do adversário, soube encaixar alguns contragolpes perigosos para surpreender os donos da casa. Desta forma, Max e Gabriel Barcos chegaram a finalizar em gol e fizeram Vanderlei ficar atento.

Apesar desses lampejos da Zebra, a superioridade não deixou de ser do Coxa. Faltava era acertar o último passe e caprichar na finalização para transformar em vantagem no placar. Isso chegou a acontecer aos 39 minutos, quando Chico aproveitou o levantamento na área e cabeceou para as redes; no entanto, estava impedido e o auxiliar assinalou a infração para anular o gol alviverde.

Poderia ser um gol para dar mais tranquilidade para o segundo tempo, mas a primeira etapa terminou mesmo empatada em 0 a 0. Resultado positivo para o Maringá, que teria que aguentar a pressão durante mais 45 minutos para se garantir na final.

Maringá sai na frente e Verdão empata, mas vaga é da “zebra”

Com apenas um tempo para tentar marcar pelo menos dois gols, o Coritiba voltou do intervalo com a filosofia clara: pressionar no ataque para chegar ao objetivo. Mais do que antes, a ordem era ir para cima. A tática funcionou em partes, já que as chances de sair na frente apareceram duas vezes com Roni: na primeira, soltou uma bomba de fora da área que terminou em uma bonita defesa de Ednaldo; na outra, foi lançado na frente e só deu um toquinho tirando do goleiro que foi para fora.

O gol alviverde parecia maduro, mas no futebol apenas parecer não basta. É preciso colocar a bola na rede. Nesse aspecto, o Maringá levou a melhor. Eram 14 minutos de jogo quando Max avançou pela direita e cruzou na medida para Cristiano testar baixo e inaugurar o placar do Couto. A vantagem só não aumentou no lance seguinte porque o zagueiro Juninho não soube aproveitar o rebote após uma cabeçada e isolou o chute com o gol aberto.

Foi algo que frustrou completamente os planos do Coritiba, que a partir de então teria que marcar três vezes para levar a vaga. Abatimento à parte, o time alviverde resolveu lutar pelo empate. Ele quase saiu em um chute de Victor Ferraz que parou em uma grande defesa do goleiro. O gol saiu logo depois, aos 23 minutos, quando Luccas Claro subiu bem em uma cobrança de escanteio e cabeceou de forma certeira para fazer 1 a 1.

A igualdade deu nova esperança aos coxas-brancas, mas o nervosismo também aumentava a medida que o tempo passava e deixava a busca pela vitória mais difícil. Não existia mais tática ou organização, a aposta alviverde era apenas jogar no abafa. Tudo ainda se complicou mais com a expulsão de Gil, aos 39 minutos, após falta dura em que recebeu o segundo cartão amarelo.

Depois disso, os minutos finais da partida foram de apreensão e drama para o Coritiba. Um gol não era suficiente para a classificação, mas ao menos levaria a decisão para os pênaltis. Os ataques desesperados à procura da virada, no entanto, não surtiram efeito algum. Com o placar na mão, o Maringá apenas se segurou até o apito final para garantir o 1 a 1 e conquistar a vaga na final do Campeonato Paranaense.

FICHA TÉCNICA
CORITIBA 1 X 1 MARINGÁ

Local: Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba (PR).
Data: 30 de março de 2014, domingo.
Horário: 16h.

Coritiba: Vanderlei; Victor Ferraz, Luccas Claro, Chico e Diogo; Gil, Robinho (Dudu), Carlinhos (Geraldo) e Alex; Roni e Keirrison (Julio César).
Técnico: Dado Cavalcanti.

Maringá: Ednaldo; Reginaldo, Juninho, Fabiano e Fernandinho (Diego); Zé Leandro, Serginho Paulista (Baiano), Léo Maringá e Max; Cristiano (Fábio Martins) e Gabriel Barcos.
Técnico: Claudemir Sturion.

Público pagante: 7.400 pessoas.
Público total: 8.835 pessoas.
Renda: R$ 99.179,50.

Cartões amarelos: Gil, Diogo, Dudu, Luccas Claro (CFC). Zé Leandro, Fernandinho (MGA).

Cartão vermelho: Gil (CFC).

Gols: Cristiano (MGA), aos 14 minutos, e Luccas Claro (CFC), aos 23 minutos do segundo tempo.