Por Guilherme Coimbra e Pedro Melo

Atlético e Coritiba poderão ser multados pelo adiamento do clássico. (Estadão Conteúdo)

O Ministério Público e o Procon-PR abriram investigação para apurar os responsáveis pela não realização do clássico Atletiba, no último domingo (19), na Arena da Baixada. Atlético, Coritiba e Federação Paranaense de Futebol (FPF) terão que prestar esclarecimentos e o valor da multa varia de R$ 600 até R$ 8 milhões.

De acordo com a coordenadora do Procon-PR, Cláudia Silvana, a grande preocupação é em relação aos torcedores que pagaram para assistir o clássico. “São duas atuações diferenciadas, cada uma dentro do seu âmbito de atuação. Já notificamos os clubes e a Federação Paranaense de Futebol para informar quais as providências estão sendo tomadas para resolver o problema do consumidor. Ou seja, se haverá um novo jogo, ressarcimento para quem não quiser assistir um novo jogo ou a disponibilização para comprar ingressos para o novo jogo”, declarou.

Atlético e Coritiba estão fazendo o ressarcimento dos ingressos para todos os torcedores até o próximo sábado (25), às 18h, e darão prioridade para adquirir as entradas para o Atletiba que será realizado no próximo dia 1º de março, às 20h, na Arena da Baixada.

O Procon quer ouvir os clubes e a entidade para saber quem foi o culpado para punir. Além do ressarcimento do ingresso, os torcedores que se sentirem lesados em outros aspectos como deslocamento e estacionamento em torno do estádio. “Todo prejuízo sofrido pelo torcedor precisa ser indenizado, mas a maior preocupação neste momento é em relação aos ingressos para o torcedor assistir a nova partida. Se um consumidor teve prejuízo individualmente, ele pode buscar também”, declarou a coordenadora.

Já o Estatuto do Torcedor fala em que uma partida precisa mudar de data com até 48 horas de antecedência. O Atletiba foi adiado quando as duas equipes já estavam prontas para disputar a partida.