O melhor ataque do Brasil foi tímido no Orlando Scarpelli. A boa posse de bola não foi suficiente para garantir ao Coritiba um resultado diferente do empate sem gols com o Figueirense. Sem Rafinha, o Coxa careceu de um ponto de ligação entre o setor de criação e o ataque e, sem a bola, Marcos Aurélio e Bill pouco puderam fazer. Muito pouco para as pretensões do Alviverde no campeonato, o empate mantém o Coxa na nona colocação do Campeonato Brasileiro, com 37 pontos. Na próxima rodada, o time recebe o Grêmio no Couto Pereira.

Domínio na posse de bola e ataque ineficiente

Inabalável na defesa, o Coxa começou o jogo no Orlando Scarpelli sem a agressividade que se espera de quem detém a maior posse de bola. Foram do Coxa as principais jogadas de ataque até a metade do primeiro tempo. A grande chance veio com Tcheco que bateu na saída do goleiro, mas não calibrou a pontaria e desperdiçou, aos 8.

Com o desenrolar da partida, porém, quem cresceu foi o time de Florianópolis, que passou a investir no lado direito do campo para botar pressão na meta de Vanderlei. Na bola cruzada, o Coxa conseguiu se segurar graças à estatura e à boa apresentação da sua dupla de zagueiros, Emerson e Luccas Claro, além das boas defesas do goleiro. Como dificuldade, o time de Marcelo Oliveira tinha a ligação entre o e meio campo e o ataque, com uma atuação tímida de Éverton Costa que, fora de sua posição original, pouco fez no 45 inicial.

Coxa aposta no ataque, mas não consegue marcar

Ciente de que o caminho era mais tranquilo pelas pontas do campo, o Figueirense começou a etapa complementar atacando pelas laterais. E foi também pelo lado que Éverton Costa começou uma grande jogada ofensiva que quase terminou em gols a 5 minutos. A posse de bola já não era exclusividade alviverde, mas o Coxa parecia mais acordado na dianteira.

Em tarde pouco inspirada, Marcos Aurélio acabou substituído por Leonardo ao mesmo tempo em que Bill deixou o campo para a entrada de Anderson Aquino. Mesmo ofensivo, o time carecia de uma ponte entre o meio campo e a defesa e na etapa final foi o Figueirense quem mais pressionou. Aos 39, Júlio Cesar recebeu limpo na área e foi desarmado por Luccas Claro em cima do lance. A resposta veio com na trama ofensiva que terminou com o chute perigoso de Jonas, que passou muito próxima à trave de Ricardo, mas o jogo terminou empatado sem gols em Florianópolis.

FICHA TÉCNICA

Campeonato Brasileiro 2011 – 27ª rodada

Figueirense 0×0 Coritiba
Local:
Orlando Scarpelli
Data: 02/10/2011
Horário: 16h

Árbitro: Wilson Luiz Seneme (FIFA-SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e João Gomes Jacome (AC)

Coritiba:Vanderlei; Jonas, Luccas Claro, Emerson e Lucas Mendes; Leandro Donizete, Léo Gago, Tcheco (Maranhão) e Marcos Aurélio (Anderson Aquino); Everton Costa e Bill (Leonardo).
Técnico: Marcelo Oliveira

Figueirense: Ricardo, Bruno Vieira (Coutinho), João Paulo, Roger Carvalho, Helder, Túlio (Pittoni), Ygor, Maicon, João Deretti (Somália), Wellinton Nem e Júlio Cesar.
Técnico: Jorginho

Cartões Amarelos: Bill (Coritiba), Marcos Aurélio (Coritiba)

Cartões Vermelhos: não houve.

Gols:Não Houve.

Público total:9.403
Público pagante: não divulgado
Renda: R$110.330,00.