Perto de se aposentar dos gramados e com passagens por diversos clubes do futebol brasileiro, o meia Tcheco usou sua experiência para apontar inúmeras falhas na organização do Campeonato Paranaense, após o empate de ontem em 2 a 2 com o Operário, no estádio Germano Kruger.

A primeira crítica do jogador do Coritiba foi com relação à bola utilizada no estadual. De acordo com Tcheco, ela prejudica o desempenho das equipes. “Não sei como a Federação Paranaense de Futebol (FPF) permite que uma bolatão ruimseja utilizada no campeonato. Uma bola murcha e velha como essa que usamos hoje (ontem)”, afirmou o meia.

A FPF, aliás, foi o principal alvo do jogador, que não concorda com a data de algumas partidas do Paranaense. “A nossa Federação parece que joga contra nós, contra os próprios times daqui. Eu já passei por outros estados e em nenhuma outra Federação é assim.Eles podiamantecipar alguns jogos nossos para sábado, quando tem partida da Copa do Brasil no meio de sema, mas não, eles marcam para o domingo e a gente tem que viajar, por exemplo,para Arapiraca cansados”, disparou Tcheco.

Sobrou até para o goleiro do Operário, que na visão do atleta coxa-branca, estava com uma camisa muito parecida com a do restante do time de Ponta Grossa. “Como que o juiz deixa o goleiro deles jogar com uniforme quase igual ao dos outros jogadores? Isso não pode acontecer”, finalizou o experiente meia, de 36 anos.