Por Pedro Melo com informações de Osmar Antônio

Anderson deseja que jejum de títulos do Coritiba encerre no estadual. (Divulgação/Coritiba)

O meia Anderson tem uma carreira muito vitoriosa com 11 títulos em 13 anos de carreira, uma média aproximada de 0,84 troféu por temporada. Agora no Coritiba, o jogador de 28 anos espera continuar gritando “é campeão” e espera repetir o mesmo desempenho que teve nas passagens por Manchester United e Porto.

“Todos os clubes que passei nunca fiquei um ano sem ganhar um título. É importante para o clube ganhar o estadual e todos os jogadores ficam marcados na história do clube. É um título que soma apesar da gente ter ficado de fora da Copa do Brasil e agora já passou. Temos que trabalhar para conquistar o estadual”, declarou Anderson.

A estreia de Anderson com a camisa coxa-branca foi na última rodada do Campeonato Paranaense contra o Prudentópolis e o meia aprovou a sua atuação mesmo sem entrar em campo desde o final do ano passado. “Fazia dois meses que eu não jogava e consegui ficar em forma lá no Internacional mesmo treinando sozinho. Não desaprendi a jogar futebol e vim aqui para somar. Eu quem quis vir para o Coritiba, tinha várias opções, e quero mostrar o meu trabalho. Espero chegar em um nível alto igual foi no Manchester, Porto e até Internacional”, afirmou.

Ao lado de Thiago Lopes, o meia foi o responsável por organizar as jogadas do meio-campo e ele acredita que a dupla será muito importante para servir Kleber e Henrique Almeida no ataque. “Hoje em dia os volantes precisam sair para jogar, claro que tem um para proteger a defesa. Nosso trabalho no meio facilita o trabalho do Kleber e do Henrique que não precisam vir buscar a bola no meio. Eles estão lá na frente para fazer os gols”, comentou.

“O jogador que joga no meio-campo se destaca quando começa a fazer gol ou dar passe. Eu preciso marcar e criar para o meu time, mas o mais importante é o time ganhar. Eu procuro servir os caras da frente para eles finalizarem bem”, acrescentou o camisa 18 do Coxa.

Confira a entrevista coletiva de Anderson: