Por João Pedro Alves

Depois de Maringá e Londrina, o Coritiba foi o terceiro visitante a se dar bem e largar em vantagem nas quartas de final do Campeonato Paranaense. Mesmo atuando sob o forte calor de Paranaguá, o Coxa foi melhor que o Rio Branco na tarde deste domingo (16) e conquistou uma importante vitória por 2 a 0 no gramado ruim do estádio Gigante do Itiberê. O responsável por garantir uma tranquilidade para o jogo da volta foi o craque Alex, que marcou os dois gols alviverdes no litoral do estado.

Os dois times voltam a se encontrar, aí sim para definir quem segue vivo na briga pelo título, no próximo final de semana. Seja sábado (22) ou domingo (23), a partida será disputada no estádio Couto Pereira, em Curitiba.

Ouça os gols de Alex narrados por Paulo Sérgio Debski na Banda B:

0075 – CAMP PARANAENSE – CORITIBA X RIO BRANCO – 1 GOL ALEX – 16-03 – PAULINHO 0076 – CAMP PARANAENSE – CORITIBA X RIO BRANCO – 2 GOL ALEX – 16-03 – PAULINHO

Em confronto disputado, Alex faz a diferença com gol de cabeça

Em um dos duelos das quartas de final do Campeonato Paranaense, se encontraram no Gigante do Itiberê dois dos mais tradicionais clubes do estado. De um lado estava o Rio Branco e de outro o Coritiba, sétimo e segundo colocados na fase de classificação. Não que a posição tenha feito diferença ao pontapé inicial. Pelo contrário, já que foram os donos da casa que se aproveitaram daquela fase de estudos para aplicar alguma correria lá no ataque.

Ainda que a postura inicial do Leão da Estradinha tenha sido mais ativa, de certa forma era o equilíbrio que ditava o ritmo da partida. Isso devido à filosofia de jogo do Coxa, que valorizava mais a posse de bola ofensiva. Era um confronto de estilos que logo colocou um dos times em vantagem. No caso, o alviverde. Aos 21 minutos,Victor Ferraz acertou o pé e cruzou na medida da direita para Alex cabecear no canto inferior esquerdo e tirar o zero do placar.

O gol foi importante para dar um pouco mais tranquilidade ao Coritiba em um jogo bastante disputado em Paranaguá. Mas também causou uma mudança perigosa no esquema coxa-branca: o recuo em campo para esperar o Rio Branco e contra-atacar nos erros do adversário. O que aconteceu foi um crescimento parnanguara, que chegava principalmente pela direita e quase achou o empate com uma bomba cruzada de Fumaça que obrigou Vanderlei a fazer difícil defesa.

Incomodado com a pressão que a equipe do litoral tentava impor desde o gol, o Coxa mudou um pouco na reta final. Novamente os alviverdes passaram a jogar mais à frente. O que não representou novas oportunidades claras de ampliar o placar ainda no primeiro tempo devido à falta de movimentação no ataque, à marcação encaixada do Rio Branco e também ao gramado bastante irregular.

Capitão alviverde volta a marcar e garante vantagem

Se a primeira etapa foi disputada e difícil para as duas equipes, o mesmo era projetado para a segunda. Diante dessa situação, qualquer chance era de ouro e poderia decidir a partida. Não precisou falar duas vezes para Alex. Logo na primeira finalização após o intervalo, aos dois minutos, o meia fez o segundo dele e do Coritiba em Paranaguá em uma cobrança de falta certeira no canto inferior esquerdo do goleiro.

A desvantagem obrigou o Rio Branco a ir para cima dos coxa-brancas para tentar revertê-la. Era o que deveria ser feito, o time precisava se postar mais próximo da meta – apesar de não finalizar devido à marcação bem encaixada. Mas também foi o que deu espaços para o adversário contragolpear. E bem. Foi desta forma que o Verdão conseguiu algumas pontadas pelos flancos e não deixou que os donos da casa gostassem do jogo.

Apesar das duas equipes se arriscarem em descidas ao ataque, os jogadores de frente tinham dificuldades de criar perigos reais. Tanto que os goleiros só foram ser acionados depois dos 30 minutos. E foram os parnanguaras que se mostraram mais agudos. Primeiro em um lançamento na esquerda que terminou com uma finalização de Fumaça para dentro, mas em condição de impedimento. Depois em uma pancada de Bismarck de fora da área que passou rente ao travessão.

Essas chances animaram o Leão da Estradinha a tentar pelo menos marcar um gol e levar um resultado melhor para Curitiba na próxima semana. A ansiedade e a falta de criatividade, no entanto, não permitiram que isso acontecesse. Melhor para o Coritiba, que administrou a vitória e agora joga em casa com uma vantagem de 2 a 0 para buscar a classificação para as semifinais.

FICHA TÉCNICA
RIO BRANCO 0 X 2 CORITIBA

Local: Estádio Fernando Charbub Farah, em Paranaguá (PR).
Data: 16 de março de 2014, domingo.
Horário: 16h.

Rio Branco: Thiago Rodrigues; Ricardinho, Cris, Anderson Rosa e Fábio Alves (Murilo); Duda, Júnior Capixaba, Rafael Chorão (Mariano Trípodi) e Bismarck; Bruno Henrique (Neilson) e Jonatha Fumaça.
Técnico: Netinho.

Coritiba: Vanderlei; Victor Ferraz, Luccas Claro, Chico e Carlinhos (Diogo); Germano, Gil (Ícaro), Robinho e Alex; Roni e Julio César (Norberto).
Técnico: Dado Cavalcanti.

Público pagante: 4.142 pessoas.
Público total: 4.962 pessoas.

Cartões amarelos: Bruno Henrique, Duda (RBC). Germano, Chico, Julio César, Roni (CFC).

Gols: Alex (CFC), aos 21 minutos do primeiro tempo. Alex (CFC), aos dois minutos do segundo tempo.