Por Guilherme Coimbra com informações de Osmar Antônio

Sem vencer na temporada, o Coritiba já começa a sentir o gostinho amargo da pressão nas primeiras partidas de 2017. Com uma derrota e um empate no Campeonato Paranaense, a chance de reabilitação será no próximo domingo (5), no clássico contra o embalado Paraná Clube, no Couto Pereira, no primeiro jogo diante de sua torcida. Em entrevista coletiva no CT da Graciosa, nesta sexta-feira (3), o volante Alan Santos comentou o início ruim do Coxa no ano e salientou a necessidade de recuperação contra o rival e na estreia pela Copa do Brasil, na próxima semana.

Alan Santos minimizou o início ruim da equipe no ano (Divulgação/Coritiba)

O torcedor tem razão, porque ele sempre quer o resultado. Ao meu modo de ver, tem início de temporada, a falta de entrosamento e tem as viagens que nós fizemos também. Mas eu tiro alguns pontos positivos da nossa equipe. Temos um clássico agora que é um jogo de concentração” “Temos que trabalhar ao máximo para que a gente possa sair dessa situação, buscar a primeira vitória na temporada e encaixar o time para que a gente possa o nosso primeiro objetivo a ser alcançado, que é ser campeão paranaense”

O volante Alan Santos minimizou o início ruim da equipe na competição e afirmou que o importante é o desfecho. “Eu não gosto muito desse ditado, mas no futebol é real. Não importa como começa, o importante é como termina. Temos o Internacional como exemplo do ano passado, que iniciou muito bem o Brasileiro e acabou rebaixado. Então eu penso positivo tirando essa reflexão para que nós possamos estar iniciando o campeonato com um ponto em dois jogos. Mas a gente tem agora um clássico para que possamos reverter essa situação para que a gente possa seguir em frente”, disse.

Alan Santos considerou normal a pressão pelo resultado e julgou importante para incentivar o atleta dentro das quatro linhas. “O Paulo [Carpegiani] fala que quem joga em time grande tem que ter essa pressão nas costas, porque tem que estar lá em cima. E o jogador tem que ter personalidade. Se quer jogar Série A, tem que estar com essa pressão”, afirmou. “Eu estava sentindo falta dessa pressão. Estava precisando disso, de me incentivar, trabalhar, querer mostrar serviço para a torcida. Isso que me incentiva a fazer mais dentro de campo”, concluiu.

A chance da volta por cima no clássico

Para se recuperar no Campeonato Paranaense, o Coritiba terá um clássico diante do Paraná, no domingo (5), no Couto Pereira, em sua primeira partida em casa na temporada.

Eles jogaram três partidas em casa. Fisicamente e psicologicamente também ajuda. Particularmente eu não vi o time do Paraná ainda, só que essas três vitórias que eles tiveram em casa traz confiança. Nós jogamos dois jogos fora, com uma viagem cansativa”, comentou Alan Santos. “O clássico é um jogo de detalhe e de concentração. Sabemos que toda a estatística não vai para dentro de campo e a gente vai fazer o máximo para quebrar essas três vitórias deles”, completou.

O volante coxa-branca reforçou a necessidade de um bom resultado diante do Paraná para motivar a equipe para o duelo importante contra o Vitória da Conquista, na próxima quarta-feira (8). “A vitória no futebol é a solução dos problemas. Se ganharmos, está tudo certo. Vencer no clássico vai trazer uma confiança para nós na Copa do Brasil. Será um jogo muito difícil. Partida única, fora de casa, tudo pode acontecer. E como já comentamos, nessa formula nova vai cair muito time grande. Estamos trabalhando e torcendo para que possamos fazer um bom trabalho no domingo e saia um resultado bom para que a gente traga a classificação da Bahia”, finalizou.