Por Pedro Melo 

Weverton defendeu a última cobrança da Alemanha. (Leonardo Benassatto/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Weverton defendeu a última cobrança da Alemanha. (Leonardo Benassatto/Futura Press/Estadão Conteúdo)

O goleiro Weverton entrou para a história junto com a seleção olímpica por conquistar a primeira medalha de ouro da história do Brasil nos Jogos Olímpicos e ainda virou o herói ao defender a última cobrança da Alemanha. Entretanto, o caminho até o lugar mais alto do pódio do camisa 1 foi totalmente diferente dos seus 17 companheiros.

Weverton sequer estava na pré-lista de 35 jogadores e não tinha mais esperança quando foi definido os 18 atletas que estariam no Rio de Janeiro. Porém, o goleiro Fernando Prass foi cortado por uma lesão no tornozelo e o goleiro do Atlético foi convocado com o aval do preparador de goleiros Rogério Maia.

O que o Weverton não imaginava era que três semanas depois se tornaria o goleiro brasileiro a menos sofrer gols em uma edição da Olimpíada – foi vazado apenas uma vez – e ainda ficou muito a frente de Pinga, que levou quatro gols em seis partidas em 1984, e Taffarel, vazado em cinco oportunidades durante a competição quatro anos depois. Entretanto, os dois ficaram com a medalha de prata perdendo para União Soviética e França, respectivamente.

Em entrevista ao Sportv, o camisa 1 agradeceu à Deus e exaltou a segunda chance que Neymar teve já que foi o único remanescente do elenco que ganhou a prata em Londres. “Deus me abençoou. Pátria amada, o ouro é nosso mas a glória é de Deus. O Neymar falou que Deus tinha dado uma segunda chance pra ele, que tinha sido prata em Londres. Deus ama ele, assim como ama todos”, comentou.

Além disso, o goleiro é o primeiro jogador do Atlético a conquistar uma medalha olímpica e o mais próximo no clube foi o também arqueiro Neto, revelado pelo Rubro-Negro, mas que estava jogando na Fiorentina quando foi medalhista de prata em Londres 2012.

Porém, não é o primeiro a trazer uma medalha jogando no futebol paranaense. Em 1988, o então meia Milton estava jogando no Coritiba e foi titular nas seis partidas durante a campanha dos Jogos Olímpicos de Seul, na Coréia do Sul.