Por Rodrigo Dornelles

O goleiro Weverton, do Atlético, tornou-se um dos protagonistas da seleção brasileira que vai buscar o ouro inédito no futebol masculino na Olimpíada do Rio 2016. Convocado de última hora para substituir Fernando Prass, que foi cortado por lesão, o camisa 12 atleticano virou camisa 1 brasileiro e ganhou os noticiários. Iniciando sua trajetória na Seleção, o goleiro espera que a convocação seja apenas a primeira e que se estenda para a equipe principal. O objetivo maior, é claro, é a Copa do Mundo. E na história, há exemplos que Weverton pode tentar seguir.

Foram 12 participações brasileiras no futebol masculino em Jogos Olímpicos. Nessas participações, muitos nomes foram chamados para defenderem a meta brasileira. Nove goleiros diferentes puderam iniciar uma partida da competição como titulares do Brasil. Desses, quatro seguiram com a camisa amarela anos depois e tiveram a oportunidade de disputar ao menos uma Copa do Mundo pela seleção brasileira. Três deles ainda sagraram-se campeões mundiais.

Weverton será goleiro do Brasil no Rio 2016. (Wellington Campos)

Weverton será goleiro do Brasil no Rio 2016. (Wellington Campos)

Primeiro goleiro a conseguir sair da seleção olímpica para a principal e disputar a Copa do Mundo, Carlos foi o único dos quatro que seguiram com a amarelinha que não conseguiu ser campeão do mundo. O jogador defendia a Ponte Preta em 1976, quando aos 20 anos foi para a Olimpíada. Ele esteve, anos depois, nas Copas de 1978 e 1982 como reserva e em 1986 como titular.

Com 25 anos em 1984 e defendendo o Internacional, Gilmar Rinaldi foi titular da seleção brasileira na Olimpíada de 1984. Como terceiro goleiro, 10 anos depois, esteve no grupo do Tetra nos Estados Unidos. O titular da conquista, Taffarel, foi outro que também defendeu a seleção olímpica. Cládio Taffarel também defendia o Inter quando foi convocado, aos 22 anos, para a disputa dos Jogos de 1988. O goleiro foi titular da seleção brasileira nas Copas de 1990, 1994 e 1998. Reserva de Taffarel na Olimpíada de 1988, Zé Carlos também foi convocado para a Copa do Mundo de 1990.

Taffarel foi titular do Brasil em uma Olimpíada e três Copas do Mundo. (Divulgação/ CBF)

Taffarel foi titular do Brasil em uma Olimpíada e três Copas do Mundo. (Divulgação/ CBF)

Último goleiro titular do Brasil em uma Olimpíada a integrar um elenco brasileiro em uma Copa do Mundo foi Dida. Em 1996, o então goleiro do Cruzeiro foi para os Jogos. Dois anos depois, estava no grupo brasileiro na Copa de 1998. Foi campeão mundial em 2002, como reserva, e ainda foi titular do Brasil no Mundial de 2006.

Inspirações não faltam a Weverton, que será o titular brasileiro na Olimpíada de 2016, aos 28 anos. Se o goleiro atleticano agarrar a chance, poderá seguir o caminho de outros nomes históricos do futebol brasileiro.

Goleiros titulares do Brasil em Olimpíadas:

1952 – Carlos Alberto (Vasco)
1960 – Carlos Alberto (Portuguesa)
1964 – Hélio Dias (Botafogo)
1968 – Getúlio (Ferroviária)
1972 – Nielsen (Fluminense)
1976 – Carlos (Ponte) – Foi para as Copas de 1978, 1982 e 1986 (como titular)
1984 – Gilmar Rinaldi (Internacional) – Foi para a Copa de 1994 (campeão)
1988 – Taffarel (Internacional) – Foi para as Copas de 1990, 1994 (campeão) e 1998 (todas como titular)
1996 – Dida (Cruzeiro) – Foi para as Copas de 1998, 2002 (campeão) e 2006 (como titular)
2000 – Hélton (Vasco)
2008 – Renan (Internacional)
2012 – Neto (Fiorentina) e Gabriel (Milan)

*Zé Carlos (Flamengo) foi reserva de Taffarel na Olimpíada de 1988 e convocado para a Copa do Mundo de 1990