Após o apito final do empate em 1 a 1 entre Atlético e Fluminense, a torcida rubro-negra se concentrou no setor Madre Maria da Arena da Baixada para protestar contra a arbitragem de Wagner Reway, que na visão dos torcedores, não deveria ter dado cinco minutos de acréscimo e nem o pênalti para o tricolor carioca aos 46 do segundo tempo, além da inversão de algumas faltas.

O trio de arbitragem ficou por um bom tempo no meio do campo esperando a torcida dispersar do túnel de passagem para os vestiários. A Polícia Militar – com o Batalhão de Choque – agiu rápido e se posicionou no gramado, de frente para as arquibancadas, e chegou até a disparar tiros de borracha, gerando críticas dos torcedores atleticanos que disseram que estavam apenas protestando pacificamente, xingando o árbitro da partida.

Depois de alguns minutos de correria nas arquibancadas da Arena da Baixada, os torcedores conseguiram deixar o estádio e o trio de arbitragem seguiu para os vestiários.

Reclamação dos jogadores atleticanos

Os jogadores do Atlético também foram para cima da arbitragem, criticar a não marcação de algumas faltas a favor do Furacão e também a penalidade máxima de Manoel em cima de Lanzini. “É a segunda vez que um árbitro vem aqui e prejudica o nosso trabalho. Ficou claro que o jogador deles se atirou no campo. É complicado, porque a gente trabalha a semana inteira e tem que passar por essas coisas”, resumiu o meia Paulo Baier.