Por Pedro Melo com informações de Felipe Dutra

Torcida foi no alambrado cobrar o Atlético após a partida. (Colaboração/Solange Melo)

Torcida foi no alambrado cobrar o Atlético após a partida. (Colaboração/Solange Melo)

A derrota do Atlético para o Figueirense por 1 a 0 tirou a paciência da torcida que esteve presente no estádio Orlando Scarpelli. Após a partida, alguns torcedores foram no alambrado cobrar os jogadores e a diretoria e o zagueiro Paulo André corroborou as críticas.

Paulo André lamentou a falta de jogadores no elenco e o fato dos novos reforços serem colocados antes do momento adequado com a missão de reverter a situação negativa do time. “Evidentemente que os jogadores que chegaram recentemente já estão sendo colocados para resolverem os problemas. Alguns vinham de inatividade e outros sem jogar. É complicado expor esses atletas para terem que resolver, assim como os jovens. Estamos tendo dificuldades para encontrar a melhor formação, mas ainda não é hora para se desesperar e achar que tudo está perdido”, comentou.

De acordo com o zagueiro, o Rubro-Negro sentiu as ausências dos jogadores que deixaram o clube ou estão no departamento médico. “É uma questão de elenco. Aos poucos vai preparando quem vai chegando, entendendo como o Paulo quer que as coisas funcionem para depois coloca-lo. Como o Nikão machucou, Pablo estava machucando e outros saíram, houve a necessidade de acelerar esse processo. Nunca tivemos jogadores de excelente nível, mas tínhamos o coletivo. Os atletas têm qualidade, mas quatro, cinco de uma vez dá uma baqueada no time”, disse.

Com o elenco enxuto, o Furacão caiu bruscamente de rendimento e perdeu em quatro das últimas cinco rodadas. O experiente zagueiro admitiu que a falta de investimento no time vem refletindo no desempenho dentro de campo. “Futebol é investimento e não foge de ter elenco grande e numeroso. Tenho certeza que a folha do Atlético é uma das mais baixas do campeonato e isso reflete neste segundo turno”, afirmou.

O Atlético volta a campo no próximo domingo (11), às 16h, para enfrentar o Internacional, na Arena da Baixada. “Torcida sempre tem direito de comemorar e criticar quem quiser. Gostaria que cobrasse depois da partida mesmo que não goste de alguém e todo mundo precisa entender que é momento de transição. Muitos estão de saco cheio já com primeiro turno bom e o segundo turno o time se arrasta”, finalizou Paulo André.