Por Rodrigo Dornelles com informações de Felipe Dutra
Autuori vê jogo contra Chape como chance de se afirmar fora de casa. (Divulgação/ Atlético)

Autuori vê jogo contra Chape como chance de se afirmar fora de casa. (Divulgação/ Atlético)

Satisfeito? Jamais. O técnico Paulo Autuori garante sempre estar buscando fazer mais. O comandante do Atlético entende que o Furacão está no caminho certo, fazendo boas atuações em termos competitivos, mas entende que é sempre possível dar um salto a mais. Nas próximas rodadas, o treinador já estabeleceu uma meta para o Rubro-negro, parar de oscilar.

Na visão do técnico, os exemplos de jogos para o Atlético precisam ser as partidas diante do Internacional, no Estádio Beira-Rio, e do Santos, na Arena da Baixada, na última rodada. “Satisfeito eu nunca estou, acho que sempre podemos fazer mais. Fomos bastante competitivos no último jogo, a maneira como nos comportamos. Assim como fomos contra o Inter, acho que foram os jogos que mais nos aproximamos do que queremos como equipe em termos competitivos”, avaliou Paulo Autuori.

Colocando como meta sempre melhorar o desempenho, Autuori entende que a equipe está trilhando um caminho certo, mas que para os próximos compromissos o objetivo deverá ser diminuir a oscilação no desempenho. “Temos que parar de oscilar, é o desafio que temos para as próximas rodadas”, projetou o treinador.

O próximo jogo é diante da Chapecoense, fora de casa. A equipe catarinense é a melhor colocada entre os clubes com um orçamento reduzido no Brasileirão. O treinador rubro-negro elogia a Chape e entende que a partida diante dos catarinenses é uma boa oportunidade para o Furacão mostrar força também fora de casa.

“Todo ano tem, todas competições têm equipes de menor orçamento fazendo boas campanhas. Não há um diferença gritante de uma equipe para outra no Brasileiro. A Chapecoense vem fazendo excelente trabalho, Guto (Ferreira) é um excelente treinador e é mais uma oportunidade para mostrar que estamos no caminho para ser uma equipe competitiva dentro ou fora de casa”, afirmou Paulo Autuori.

Diante da Chape, novamente a dúvida quanto ao ataque. André Lima, Walter, ou os dois juntos? Contra o Santos, os dois começaram jogando, mas Walter acabou sendo substituído, sentindo uma dor na coxa esquerda. O próprio atacante garante estar bem fisicamente e tranquilo em relação à “disputa” com o companheiro pela titularidade. “Estou bem, senti a coxa, achei melhor não continuar”, comentou. “Um ajuda o outro, é difícil achar uma equipe com dois atacantes fortes, aqui temos dois. Não me sinto reserva, titular, estamos treinando sempre para ajudar o time”, disse.

Atlético e Chapecoense se enfrentam na Arena Condá nesta quarta-feira (22), a partir das 19h30. A Chape é sétima colocada com 14 pontos e o Furacão é nono com 13 pontos ganhos.