Atlético Paranaense
Goleiro Rodolfo em entrevista coletiva nesta quinta-feira.

O goleiro Rodolfo, do Atlético, confirmou em uma coletiva que é viciado em cocaína e vai procurar se tratar. Após ser pego no anti-dopping, o atleta do Rubro-negro garantiu que vai para uma clínica de reabilitação.

Rodolfo confirmou que usava a substância constantemente, mas garantiu que vai se tratar.”Eu realmente sou viciado mas eu vou procurar me tratar”, disse Rodolfo.

Segundo ele, o Furacão está prestando todas as ajudas possíveis. “O Atlético está me ajudando bastante com o Domingos Moro (advogado), com o psicólogo e eu vou dar o meu máximo para sair desta situação”, prometeu o goleiro.

Como o Portal Banda B havia adiantado na manhã desta quinta-feira (02), Rodolfo irá mesmo para uma clínica de reabilitação para se tratar. “Vou passar um tempo em um lugar para me recuperar e esta recuperação, se Deus quiser, vai dar certo”, finalizou.

O jogador não respondeu à nenhuma pergunta na coletiva de imprensa, apenas deu o seu depoimento.

Internamento

De acordo com o conselheiro do CAP, psicólogo e integrante do Conselho Estadual Anti-Drogas, Dionísio Banaszewski, o goleiro ficará internado entre quatro e cinco semanas em uma clínica de reabilitação. “Serão até cinco semanas para ele se desintoxicar completamente. Durante esse período, ele irá manter o preparo físico em atividades com os profissionais do Atlético em horários programados no CT do Caju”.

Gilberto Gaertner, psicólogo do Furacão, afirmou que o tratamento foi a opção escolhida por Rodolfo. “Ele está indo de livre e espontânea vontade. Foi orientado de que teria a opção de ter um processo de tratamento ou não. A forma que o clube está encarando o caso se diferencia de outros casos ocorridos em outros clubes do Brasil e no Mundo. O Atlético está entendendo e compreendendo que se trata de uma doença e o clube dará todo apoio para ele recuperar a sua aptidão ao trabalho. A partir desta ajuda, o sucesso do tratamento depende do empenho e dedicação do atleta”.

O goleiro fará o tratamento completo, que durará por volta de dois anos. “Depois da fase de internação e desintoxicação, ele continuará tendo acompanhamento total pelo clube”, diz Gaertner.

O vice-presidente do CAP e diretor do Departamento Médico, Luiz Sallim Emed, elogiou a postura adotado por Rodolfo. “Nunca tinha visto uma atitude tão corajosa e espontânea como ele demonstrou aqui. E assim tem que ser durante todo o tratamento. Ele continuará treinando, pois o trabalho é indispensável para a recuperação dele”.

Por respeito ao jogador, seus familiares e questões éticas, o Clube Atlético Paranaense não divulgará a clínica que seu atleta estará internado.