Por Pedro Melo com informações de Felipe Dutra

Weverton já era titular na campanha do vice-campeonato em 2013. (Divulgação/Atlético)

Weverton já era titular na campanha do vice-campeonato em 2013. (Divulgação/Atlético)

O Atlético conseguiu vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil ao eliminar a Chapecoense pelo gol marcado fora de casa. Agora, o Rubro-Negro aguarda o sorteio que acontece na próxima terça-feira (02) para saber o seu próximo adversário e pode enfrentar Atlético-MG, Corinthians, Grêmio, Palmeiras, São Paulo, Internacional, Cruzeiro ou Santos.

Titular do Atlético em todas as partidas na competição nacional, o goleiro Weverton também esteve presente na campanha de 2013, quando o Rubro-Negro foi vice-campeão da Copa do Brasil, e agora espera um desfecho diferente para que possa comemorar mais um título.

“A gente não priorizou nenhuma competição em 2013, não fizemos um revezamento de jogadores e o jogo de Copa do Brasil é ganhar de 1 a 0 em casa e segurar o empate fora. O segredo é estar concentrado, bem preparado porque é uma competição em que não tem favorito. A gente espera que, ao contrário de 2013, se a gente chegar à final, que possa terminar o ano feliz, com o título”, comentou o camisa 12.

A grande diferença em relação a 2013 é que o Furacão não disputou o Campeonato Paranaense com sua equipe principal e não sofreu com tanto desgaste físico no final da temporada. Entretanto, o capitão acredita que pode repetir a mesma campanha de três anos atrás. “No ano de 2013, a gente tinha uma carga de número menor já que não jogamos o Campeonato Paranaense e isso fez a diferença. A gente confia que tudo vai dar certo de novo e vai chegar novamente na final da Copa do Brasil”, disse.

Para se classificar às oitavas de final, o Rubro-Negro empatou as duas partidas com a Chapecoense e conseguiu a classificação pelo gol marcado fora de casa. De acordo com Weverton, as atuações neste momento não serão lembradas caso o Atlético seja campeão.

“Se a gente for campeão da Copa do Brasil, ninguém vai lembrar da partida contra a Chapecoense e sim do título. O importante para a gente é passar de fase. Se jogou bem, a gente vai analisar depois, mas ninguém é perfeito. Foram dois jogos muito bons e o que vale é a classificação”, finalizou o capitão atleticano.