Por Esporte Banda B

De acordo com jornal argentino, Luciano Cabral se tornou ‘ídolo dos presos’ (Reprodução)

O meia rubro-negro Luciano Cabral segue preso em Mendoza, na Argentina, no aguardo de uma definição sobre o seu futuro. Suspeito de participação no assassinato de um homem de 27 anos, o jogador foi detido e virou celebridade na cadeia. Um dos detentos, inclusive, publicou uma foto ao lado do jogador em sua rede social no último sábado (28). O diário argentino Día del Sur definiu Cabral como “ídolo dos presos” e criticou a situação ocorrida no serviço penitenciário local.

Luciano Cabral foi preso no dia 4 de janeiro, na cidade de General Alvear, província de Mendoza, na Argentina, suspeito de participação no assassinato de um homem de 27 anos ocorrido na madrugada do dia 1º de janeiro. Além dele, o seu pai, Juan Cabral, e um adolescente de 17 anos também foram detidos.

De acordo com o Día del Sur, o advogado do jogador, Gustavo Nedic, prepara os últimos detalhes para tirar Luciano Cabral da prisão. O argumento da defesa seria que o atleta dormia em sua casa e que não estava no local do assassinato. Outro jornal local, o UNO San Rafael, afirmou que “haverá novidades no caso ainda nesta semana”. Segundo o diário, uma nova perícia foi marcada para esta segunda-feira (30) no sítio onde o crime ocorreu. O prazo para juntar provas do assassinato acabam nesta semana, fazendo com as audiências tenham início nos próximos dias.

Apesar de ainda não haver um motivo concreto, a principal suspeita do crime seria acerto de contas. Luciano Cabral chegou a ser considerado foragido após o assassinato, mas se apresentou à polícia por livre e espontânea vontade no dia 4 e, por decisão da Justiça, acabou sendo preso.

Nascido na argentina e naturalizado chileno, o jogador de 21 anos pertence aos Argentinos Juniors e está emprestado ao Atlético. Ele disputou seis partidas com a camisa rubro-negra em 2016 e não marcou nenhum gol. O clube aguarda o desfecho do caso para definir o seu futuro.