Por Rodrigo Dornelles com informações de Osmar Antônio
Autuori exaltou o atacante Walter. (Divulgação/ Atlético)

Autuori exaltou o atacante Walter. (Divulgação/ Atlético)

Uma vitória contundente. O Atlético derrubou o então líder na Arena da Baixada pelo placar de 2 a 0, com dois gols do atacante Walter, e colou no G4 do Brasileirão. Com mais de 27 mil torcedores presentes na Arena, o técnico Paulo Autuori elogiou o ambiente criado pela torcida atleticana. O treinador ainda exaltou o artilheiro da partida.

Após uma fase sem marcar gols, Walter voltou a balançar as redes nas últimas partidas. Na noite desta quarta-feira (3), foram dois dele na vitória rubro-negra. “Walter tecnicamente é o melhor que existe no futebol brasileiro, e é goleador. Fases a gente atravessa, tanto na vida profissional quanto pessoal. Mesmo quando estava sem fazer gols, estava trabalhando para a equipe como há muito tempo não via. O André (Lima) também tem números fantásticos. Poucas equipes podem ter jogadores assim e fico satisfeito com isso”, comentou Paulo Autuori.

Recebendo forte apoio do bom público presente na Arena da Baixada, Autuori também elogiou o ambiente criado por torcida e time rubro-negros. “Primeiro parabenizar os jogadores, torcedores, foi um ambiente fantástico”, destacou o comandante, que também não deixou de dar um “puxão de orelha” nos torcedores. “Só não precisa gritar raça antes do jogo que pode faltar qualquer coisa, raça não”, disse o técnico.

Elogiando também o adversário, o treinador atleticano classificou o duelo entre Atlético e Corinthians como um jogo que “não tem a ver” com o futebol brasileiro. “Foi um jogo extremamente bem jogado pelas equipes, que não tem muito a ver com futebol brasileiro. Um grande jogo, valoriza muito a vitória da nossa equipe. Ficamos satisfeitos, mas temos muita coisa a fazer, sábado já temos outro jogo”, afirmou Paulo Autuori, que voltou a reclamar do calendário. “Fica claro quando a gente fala, se querem jogos com intensidade mais alta, pelo amor de Deus mudem esse calendário ridículo”, declarou.