O confronto era direto e a necessidade da vitória realidade para as duas equipes, ameaçadas pelo fantasma do rebaixamento. Entretanto, mesmo empurrado pela torcida, que tratou de lotar as arquibancadas da Ressacada, o Atlético foi espectador do Avaí, que não vencia há sete rodadas, e acabou derrotado por 3 a 0, com todos os tentos marcados no primeiro tempo.

Em poucas palavras, o técnico Antônio Lopes justificou a péssima derrota com falta de inspiração do time. “A gente tinha esperança de as coisas melhorarem, mas depois a minha pretensão era tomar uma goleada maior. Seria horrível para o time”, lamentou o treinador. “A gente tem que tirar a lição dos erros que cometemos. Derrota fora de casa é previsível, mas não da maneira como foi”, emendou.

Preso no meio campo, o Furacão praticamente não aproveitou as laterais, tanto para sair da forte marcação do Avaí, quanto para investir em ataques mais objetivos. “As vezes não depende só de querer, depende do comportamento”, avaliou Lopes, ainda confiante na recuperação do time rubro-negro. “Mostrei a eles que a luta tem que continuar, porque matematicamente nós ainda estamos dentro”.

E é em um verdadeiro clima de luta que o Furacão recebe o aspirante a líder Vasco na próxima rodada, na Arena. Com 27 pontos, o time está a três pontos de deixar a zona da degola, acompanhado de perto pelo algoz deste domingo, Avaí.