Em um jogo fundamental na luta contra o rebaixamento, o Atlético ficou no 0 a 0 com o Figueirense, em plena Arena da Baixada. O Furacão soma apenas um ponto, mas desperdiça a oportunidade de se aproximar da saída da zona do rebaixamento e segue na 18ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 23 pontos, a quatro pontos de deixar a zona da degola.

O jogo deste domingo marcou o retorno do meia Paulo Baier e do atacante Nieto, depois de aproximadamente dois meses de fora se recuperando de lesões. Na próxima rodada, o Furacão enfrenta o Bahia, em Pituaçu, um concorrente direto na luta contra o rebaixamento.

Atlético começa bem, mas cai de produção e dá espaço para o Figueirense

O Atlético foi com tudo pra cima do Figueirense e dominava as ações do jogo nos primeiros minutos da partida. Mas as melhores jogadas de ataque foram criadas pelo time catarinense. Aos 6 minutos, Wellington Nem arriscou da entrada da área e Renan Rocha fez grande defesa. Um minuto depois, na cobrança de escanteio, Edson Silva cabeceou pela linha de fundo, mas com muito perigo.

O tempo passava e o Figueirense explorava bem os contra-ataques e também era perigoso quando chutava a gol. Aos 27 minutos, Fernandes fez boa jogada e bateu cruzado, mas Renan Rocha fez a defesa em dois tempos. Nos minutos finais da etapa inicial, o Atlético nada criou, só deu Figueirense e a torcida rubro-negra perdeu a paciência com o time. Apesar da superioridade catarinense, o placar não saiu do 0 a 0.

Furacão melhora e pressiona, mas não consegue balançar as redes

No primeiro lance do segundo tempo, Wellington Nem recebeu na cara de Renan Rocha, mas acabou batendo por cima da meta rubro-negra. A resposta do Atlético veio aos 6 minutos, em grande jogada de Paulo Baier. O maestro finalizou com categoria e Wilson fez boa defesa. Na sequência, Madson arrancou pela esquerda, mas bateu por cima do gol adversário. O Furacão estava mais acesso no segundo tempo, mas o time catarinense também era perigoso no ataque.

Aos 16 minutos, Júlio César cruzou, Renan Rocha saiu mal do gol e Edílson tirou a bola antes que Wellington Nem balançasse as redes. Aos 26, Edílson cruzou, Paulo Baier deixou passar e Nieto furou de maneira bizarra, desperdiçando boa oportunidade para o Atlético. Nos minutos finais, o Furacão pressionou muito em busca da vitória, criando várias jogadas de ataque, enquanto o Figueira se defendia e prendia a bola. Apesar das tentativas, o Atlético não balançou as redes e ficou no 0 a 0 com o Figueirense.