Valquir Aureliano
Furacão tem oito partidas na Arena da Baixada até o fim do Campeonato Brasileiro

Os números não abandonam o Atlético desde o início do Brasileirão, em maio. Em 23 partidas disputadas, o Furacão sentiu o gosto de estar fora da zona de rebaixamento apenas uma vez, na 17ª rodada, após bater o Cruzeiro na Arena por 2 a 1. A recuperação com a breve passagem do técnico Renato Gaúcho pelo clube, porém, não livrou o time da zona da degola e, com 22 pontos, a situação ainda pode ser considerada crítica.

Segundo o matemático Tristão Garcia (no site globoesporte.com), a média dos últimos campeonatos permite dizer que para escapar o Furacão precisa de, pelo menos, 47 pontos. Considerando que tem pela frente oito partidas na Arena da Baixada e sete longe de casa, o Atlético precisaria conquistar pelo menos mais 25 pontos, o equivalente a oito vitórias e um empate, para se manter na Série A.

Se conseguir se manter 100% em casa diante de Figueirense, Fluminense, Internacional, Vasco, Ceará, Atlético-GO, São Paulo e Coritiba, todos os adversários que enfrenta na Arena da Baixada até o fim do campeonato, o Furacão só fica na dependência de um empate fora de casa para respirar.Exatamente na rodada de número 23, em 2010, o Goiás, 18º colocado da tabela, tinha 21 pontos, um a menos do que o Furacão tem hoje. O número mágico (47) é fruto da média de todos os clubes que se salvaram da degola desde que o campeonato começou a ser disputado por pontos corridos, rm 2003.

Para o próximo jogo, diante do Figueira, o Rubro-negro poderá ter o retorno de jogadores importantes. Recuperados, Morro García e Paulo Baier podem pintar como novidades na escalação do técnico Antônio Lopes. Kléberson, Madson e Cleber Santana cumpriram suspensão e estão à disposição do treinador.