A ordem da diretoria do Atlético é clara: só o técnico Antônio Lopes ou membros da comissão técnica poderão falar ao longo da semana que antecede o clássico Atletiba do próximo domingo, a partir das 17h, na Arena da Baixada. Após o treino desta terça-feira, no CT do Caju, Lopes explicou o motivo dessa determinação.

“A ordem é da direção para que os jogadores não falem, para evitar uma resposta que possa ser mal interpretada e motive o adversário ou irrite a torcida”, explicou o comandante rubro-negro, que não fugiu do tradicional pedido de paz em véspera de clássicos.”A gente tem que pedir paz aos torcedores das duas equipes. Que eles torçam com tranquilidade e sem violência, é isso que a gente quer”, completou.

Com relação à postura do Atlético em campo, Antônio Lopes espera um time guerreiro, já que o Furacão precisa vencer o rival Coritiba e ainda torcer por tropeços de Cruzeiro e Ceará para permanecer na Série A em 2012. O treinador usou como exemplo a boa partida que a equipe rubro-negra fez contra o São Paulo, no dia 16 de novembro (vitória por 1 a 0 na Arena da Baixada).

“Nós fizemos boas partidas e queremos esse Atlético no clássico. Tem que ser um Atlético vibrante, com tranquilidade e organização. O que vai pesar é a vontade de cada um, temos que jogar com esse espírito competitivo”, afirmou Antônio Lopes, que não poderá contar com o zagueiro Gustavo, suspenso, para o Atletiba. Fabrício deve ser o companheiro de Manoel na defesa rubro-negro.

No treino de hoje, o volante Deivid e o atacante Nieto foram poupados por conta de dores musculares, mas não preocupam para o jogo do final de semana. Essa foi a última atividade do Atlético que a imprensa pode acompanhar, já que os trabalhos de quarta e quinta-feira serão fechados. Na sexta, a imprensa terá acesso ao CT do Caju apenas para a entrevista coletiva do treinador.