Por João Pedro Alves e Greyson Assunção

Em 90 anos de história, completos nesta quarta-feira (26), um grande clube como Atlético Paranaense coleciona alguns ídolos que fizeram história defendendo a camisa rubro-negra. Um deles é Barcímio Sicupira Júnior, o “Craque da 8”, artilheiro de todos os tempos do Furacão com 158 gols marcados. Podem fazer quase 40 anos desde a última vez que o eterno meia-atacante jogou pelo time da Baixada, mas o tempo não apaga o carinho pela instituição.

Nesta data especial em que o Atlético chega à nona década de vida, uma viagem ao passado foi feita por Sicupira. Comparado àquele período em que jogou pelo Rubro-Negro, entre 1968 e 1975, ele vê uma grande evolução do clube tanto no quesito gestão quanto no esportivo. Mas a previsão dele é ainda mais positiva, de que se torne ainda maior em breve.

“De 2015 para frente o Atlético será um dos grandes clubes do Brasil. Não que já não seja, mas será de ponta. Será um time para brigar com Flamengo, Corinthians, Cruzeiro e outros grandes de mano”, afirmou o “jogador que não está em atividade”, como se classifica o comentarista da Banda B.

Enquanto esse salto não acontece e as novas conquistas não vêm, Sicupira recordou das antigas. E são várias, tanto como jogador quanto do lado de fora do gramado. A principal delas, a mais marcante, foi do tempo em que vestia a camisa 8 rubro-negra.

“Eu tenho que lembrar sempre da conquista do título de 70 do Campeonato Paranaense. Foi sofrido, brigado, na última partida, foi muito emocionante”, disse, lembrando daquela conquista sobre o maior rival Coritiba em que foi artilheiro do estadual com 20 gols anotados.