A três dias de fazer a sua estreia no campeonato mais importante do país, o Atlético já engrossa o discurso de que um novo começo deve ser construído a partir do jogo de sábado, contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte. O pensamento coletivo é de corrigir os erros apresentados no Paranaense e na Copa do Brasil para tentar chegar ao topo da tabela e brigar pelo título.

Além de reforços e a promessa de mudança de postura, o Rubro-negro conta com o bom retrospecto do comandante Adílson Batista, que fez boas campanhas quando estava a frente de Cruzeiro e Corinthians, de 2008 a 2010. “Esses últimos anos foram bons, um pouquinho de atenção e dava pra ter conseguido o Brasileiro com o Cruzeiro e outro com o corinthians. Nos detalhes, a gente deixou escapar agora é ter consciência de que temos feito um bom trabalho”, aponta o técnico.

Na análise do treinador rubro-negro, esse campeonato nacional será de grandes dificuldades para todos os times. “Só o Santos está na Libertadores, todo mundo tá descansado, concentrado única e exclusivamente no Brasileiro. Não tem mais ninguém jogando com time misto”, destaca Batista, que acredita que cada jogo deve ser disputado como se fosse uma final.

Monique Vilela
Zagueiro é um dos destaques do Furacão na temporada

Força na defesa

Treinamento forte e correção de erros são parte da rotina do time da Arena da Baixada. Para o zagueiro Rafael Santos, o momento é de otimismo para o elenco, que está confiante para iniciar o Brasileirão com o pé direito. O jogador afirma que os estaduais são um bom termômetro para identificar os destaques e adversários mais fortes no nacional. “A gente acompanha os estaduais e sabe que o Brasileiro todo mundo inicia do zero”, afirma.

“A equipe vem trabalhando forte desde a chegada do Adílson e vem numa crescente principalmente no setor defensivo e com a bola no pé”, aponta o jogador. Para Santos, o importante é somar pontos desde o início da temporada, para não ser surpreendido no fim do ano.