Ouça o áudio

Divulgação
Bolinha ao lado de sua irmã, Eliane, ainda no hospital Vita

Após 63 dias internados por conta de uma perfuração de úlcera que originou uma inflamação em vários órgãos do abdômen, o massagista do Atlético, Bolinha, vai receber alta hospitalar nesta quarta-feira e passará a receber cuidados médicos diretamente do CT do Caju, dando continuidade ao seu processo de recuperação.

“Ele vai ter um enfermeiro cuidando dele 24 horas por dia, para trocar curativo, dar toda atenção possível. Ficar em casa é muito melhor do que no hospital e ele ainda precisa de cuidados. O Atlético segue dando todo apoio possível para o Bolinha. Ele ainda está fraquinho, mas o que importa é que ele nasceu de novo”, explicou o dr. Edílson Thiele, coordenador do departamento médico do Atlético, em entrevista à rádio Banda B.

Foram 45 dias internado na UTI, além de 18 dias no quarto do hospital Vita, sem contar uma cirurgia de emergência para retirar parte da inflamação abdominal. De acordo como médico infectologista do Hospital Vita, dr. Jaime Rocha, mesmo no CT do Caju, Bolinha continuará recebendo cuidados especiais, “como curativos, fisioterapia e os medicamentos necessários, o que vai ajudar para se recuperar ainda mais rápido fora do hospital”, como explicou o médico.

Emocionado com a volta para casa (Bolinha considera o CT do Caju sua casa, já que são 18 anos trabalhando no Atlético), o massagista agradeceu também o apoio e carinho recebido dos torcedores rubro-negros. “Recebi muito apoio da torcida, fiquei emocionado.Agora a recuperação é em casa, mais alguns dias e já estarei 100%. Agradeço o apoio de todos”, falou Bolinha, com exclusividade à Banda B. “Vou apoiar o Atlético até o fim do campeonato, vamos sair da zona de rebaixamento e iniciar 2012 da melhor maneira possível”, completou o massagista (ouça o áudio acima).

Na fase final de sua recuperação, Bolinha estará em contato direto com os jogadores atleticanos no CT do Caju. “Para os jogadores, a presença dele no CT vai ser uma coisa boa, uma motivação extra”, finalizou Edílson Thiele.