Monique Vilela – rádio Banda B
Diogo Fadel é candidato à presidência pela chapa “Paixão pelo Furacão”

Depois de lançar oficialmente a chapa “Paixão pelo Furacão – o Atlético em primeiro lugar”, na última quinta-feira, o candidato à presidência do Conselho Adminstrativo, Diogo Fadel Braz, esteve nos estúdios da rádio Banda B e participou do programa Balanço Esportivo desta terça-feira. Durante 20 minutos de entrevista, Fadel falou sobre as principais propostas de sua chapa e a maneira como pretende administrar o clube caso seja eleito.

“Temos um grande projeto apenas, que é reformular a forma de administrar o Atlético. Não acredito que vamos cair para a Série B, mas caso isso aconteça, garanto que não vai mudar a reforma que faremos no departamento de futebol. Precisamos de pessoas comprometidas e metas bem definidas”, afirmou Fadel. “O futebol do Atlético está errado desde 2002, quando deixaram de lado a forma colegiada de administrar o clube e nós pretendemos retomar o colegiado, com as decisões sendo tomadas de maneira coletiva”, completou.

Fadel é atualmente vice-presidente do Atlético, substituindo Ênio Fornea, que deixou o cargo em 2010 e agora concorre à presidência do Conselho Deliberativo pela chapa “Paixão pelo Furacão”. Pela ligação com a gestão de Marcos Malucelli, muitos consideram a chapa de Fadel e Fornea como sendo de situação, fato negado pelo candidato à presidência do Conselho Administrativo.

“Tem muita gente querendo nos rotular como chapa de situação, mas a gente não propõe um continuismo de ideias. Nós somos uma chapa de união e não de situação. O Marcos Malucelli fez uma gestão muito boa em termos administrativos e financeiros, mas ele cometeu vários erros no futebol, assim como os últimos anos da gestão do Mário Celso Petraglia”, afirmou o candidato, conselheiro do Atlético há 10 anos e advogado do clube há 12, tendo passado por diversos cargos dentro do Conselho Deliberativo nos últimos anos.

Sobre Mário Celso Petraglia, candidato da oposição ao Conselho Deliberativo, Fadel disse não ter nenhum problema contra o ex-presidente, mas pediu que ele não baixe o nível durante a campanha. “Hoje me encontrei ocasionalmente com o Petraglia. Eu até sugeri a ele que a campanha fosse em alto nível, porque o CAP está acima de tudo. É inadmissível a forma como o Petraglia atua nas redes sociais. Críticas à administração do clube são normais, ofensas não podemos tolerar”, disse.

Para Fadel, é incoerente Petraglia querer presidir o Conselho Deliberativo já que ele comanda a Comissão da Copa e é o responsável pelas obras na Arena da Baixada. “A Comissão da Copa é subordinada ao Conselho Deliberativo. Se o Mário Celso presidir o Conselho e a Comissão, como ele vai se auto-fiscalizar? Eu não vejo isso como algo justo. Onde estaria a transparência?”

Projeto engatilhado para o futebol

Diogo Fadel garantiu que já tem planos para a gerência de futebol do Atlético, caso vença as eleições do dia 15 de dezembro, mas não quis falar em nomes já que a equipe rubro-negra ainda tem quatro jogos decisivos no Campeonato Brasileiro para tentar escapar do rebaixamento.

“Nós não falaremos em nomes de técnico neste momento. Ainda temos quatro jogos fundamentais no Brasileiro e não podemos perder o foco. O colegiado do futebol é quem vai definir o técnico, o gerente de futebol e as pessoas que vão compor o departamento de futebol. Já existem nomes para a gerência de futebol, mas ainda não é o momento específico para falarmos. Temos o projeto engatilhado já”, afirmou. “A contratação dos jogadores será feita de maneira coletiva. A ideia é errar o menos possível”, finalizou Diogo Fadel.