Em semana decisiva, o Furacão já iniciou a preparação para enfrentar o América-MG, em Uberlândia, no próximo domingo (27). Já rebaixado, o Coelho tem usado como motivação a saída do técnico Antônio Lopes: alguns atletas deram declarações polêmicas, dizendo que o treinador “desmotivou o grupo” e “não conseguiu realizar um trabalho”.

Lopes comandou o time mineiro por quatro rodadas e conquistou apenas dois pontos. Deixou o clube sob a alegação de problemas particulares, mas assumiu o Furacão em seguida. O lateral direito Marcos Rocha foi o mais duro nas críticas ao Delegado. “No momento que a gente precisou de motivação, ele foi um treinador desligado, no meu entender, não conhecia nenhum dos jogadores do América-MG”, disse o jogador.

O treinador rubro-negro preferiu aliviar a polêmica e não sustentou as provocações. Segundo o Delegado, as declarações dos atletas do Coelho devem estar baseadas na motivação em vencer o Atlético. “Não falei nada. Quero ver eles colocarem alguma gravação. Então, não tem nada a ver, não. Até acho que isso aí foi jogado em cima para poder motivar o time deles. Em realidade, não aconteceu nada”, afirmou o técnico.