Por Pedro Melo

Deportivo Capiatá disputa a Libertadores pela primeira vez. (Divulgação/Deportivo Capiatá)

O Deportivo Capiatá não era favorito nos contra Deportivo Táchira, da Venezuela, e Universitário, do Peru, mas segue vivendo o seu “sonho na Libertadores”. Agora, o time paraguaio busca uma vaga na fase de grupos no confronto contra o Atlético.

A primeira partida será nesta quarta-feira (15), na Arena da Baixada, e o técnico Diego Gavilán demonstrou preocupação com a grama sintética. “Influencia para as equipes brasileiras, assim como para nós. Tomara que possamos reconhecer o gramado para ter uma noção de como é o campo e também como correr a bola”, comentou ao jornal paraguaio ABC.

Gavilán, que durante sua carreira de jogador profissional teve passagens por Internacional, Grêmio, Flamengo e Portuguesa, não contará com três titulares: o lateral-esquerdo Cristhian Martínez está suspenso pelo acúmulo de cartões amarelos e os meias Hugo Lusardi e Blas Irala ainda se recuperam de contusão sofrida durante a partida da Libertadores na semana passada.

“Creio que vamos chegar bem e temos que estar prontos para enfrentar todo tipo de dificuldade. Temos que mostrar nosso jogo. Precisamos ajustar alguns detalhes que são importantes para a Libertadores, mas necessitamos jogar de igual para igual”, ressaltou o treinador.