Divulgação
Guerrón comemora primeiro gol no Campeonato Brasileiro

Segunda contratação mais cara da história do futebol paranaense, o atacante Guerrón chegou ao Atlético em julho de 2010 com status de ídolo e com muitas expectativas por parte da torcida rubro-negra. Sem nunca ter mantido uma regularidade, o equatoriano foi constantemente criticado pelos torcedores, e durante a passagem de Renato Gaúcho pelo clube, não foi nem aproveitado.

Recuperado de uma lesão muscular, Guerrón foi titular na partida de ontem e marcou um dos gols do Atlético no empate em 2 a 2 com o Palmeiras, na Arena da Baixada, além de ter sido eleito o melhor jogador em campo pela equipe Banda B. Enfim apresentando um bom futebol, aquele que a torcida sempre esperou dele, o atacante revelou que pensou em deixar o Furacão, mas no fim acabou recusando duas propostas do exterior, preferindo ficar em Curitiba e ajudar o rubro-negro a se livrar do rebaixamento (assista ao vídeo abaixo).

“Eu estava a ponto de sair do Atlético, por problemas que estavam acontecendo comigo, mas pensei no clube e na minha família e vamos seguir lutando, pois tenho muita gana de lutar”, disse o atleta, que admitiu se sentir chateado com as acusações da torcida de que ele não teriacomprometimento com o Atlético.”Eu estava um pouco desmotivado, porque fui contratado para jogar, mas não tinha oportunidade de demonstrar meu futebol. Os torcedores me perguntavam na rua o que estava acontecendo comigo, porque eu não queria jogar e isso me incomodava bastante”, completou.

Guerrón revelou ainda que a chegada de Antônio Lopes o motivou a trabalhar ainda mais e reconquistar seu espaço na equipe atleticana.”Segunda eu fiquei pensando se eu ia ter oportunidade com o Antônio Lopes. Eu não costumo perguntar pra treinador se vou ser escalado ou não, isso vai de cada treinador, eu os respeito muito. Mas na minha cabeça ficava passando o tempo todo se eu ia ganhar uma oportunidade daqui pra frente”, disse o jogador.

Por fim, o equatoriano contou como ficou sabendo que seria titular diante do Palmeiras, depois de vários meses sem começar uma partida com a camisa rubro-negra.”Eu estava saindo do treinamento, indo pro vestiário e o Lopes me chamou e disse: “Guerrón, será que você aguenta jogar os 90 minutos?”. Eu fiquei até emocionado, achei na hora que ia jogar. Eu respondi que não vinha tendo oportunidade, mas queria jogar mesmo não estando bem fisicamente. Eu queria demonstrar meu futebol, ainda mais nessa situação que o time precisa de nós. E ele me disse: “amanhã (quarta) você vai jogar”. Eu fiquei muito feliz, falei pro meu filho que ia fazer um gol para ele e graças a Deus deu tudo certo”, explicou Guerrón.

Com a boa atuação na noite desta quarta-feira, Guerrón deve ser mantido no time titular do Atlético para a próxima rodada do Campeonato Brasileiro, no domingo, quando o rubro-negro enfrenta o Flamengo, a partir das 18h, em Macaé.