Geraldo Bubniak
Com 40% de aproveitamento no segundo turno, Furacão fez boa campanha sob o comando de Antônio Lopes

Polêmico, o técnico Antônio Lopes se eximiu de qualquer culpa após a confirmação do rebaixamento do Furacão no encerramento do Brasileirão. Em entrevista após a vitória rubro-negra sobre o rival Coxa, o treinador fez questão de destacar que não tem responsabilidade na queda do Atlético, culpando a campanha do time no primeiro turno como cabal para o rebaixamento.

Um dos pontos de defesa do Delegado é que, sob o seu comando, o time teve uma boa campanha. Isso porque, com o treinador, o Furacão se recuperou e foi o 14ª no segundo turno, com aproveitamento de mais de 40%. Campanha que, caso tivesse sido iniciada anteriormente, poderia ter salvado o time do rebaixamento e classificado o time à Copa Sul-Americana.

Com três técnicos no Brasileirão, o Atlético conquistou sua primeira vitória apenas na 11ª rodada do campeonato. Sob o comando de Adílson Batista, o Rubro-negro somou apenas um ponto nas oito primeiras partidas, terminando o primeiro turno com nove derrotas, seis empates e quatro derrotas, já com Renato Gaúcho no comando.

Em todo campeonato, o time permaneceu por apenas uma rodada (17ª) fora da zona de rebaixamento e, sem se recuperar, sofreu o terceiro rebaixamento na sua história depois de 16 anos na Primeira Divisão.