Por Rodrigo Dornelles com informações de Felipe Dalke
Autuori quer Furacão agindo. (Divulgação/ Atlético)

Autuori quer Furacão agindo. (Divulgação/ Atlético)

O Atlético não fez um bom jogo contra o Figueirense, na última quarta-feira (7), e voltou derrotado de Florianópolis. Neste domingo (11), a equipe já tem novo compromisso, diante do Internacional, na Arena da Baixada. Possibilidade para o time reagir, voltar a vencer e encostar no G4. O técnico Paulo Autuori confia na recuperação da equipe, mas pede mais ação e menos reação.

Diante do Figueira, o Furacão perdeu boa chance de encostar de vez na briga por uma vaga na Libertadores. A equipe não se apresentou bem, e o treinador espanta qualquer tipo de justificativa pela derrota. “A maneira como nós atuamos foi decepcionante em relação aquilo que poderíamos fazer. Não há qualquer tipo de justificativa pela maneira como jogamos. Não tem meias palavras, as palavra são inteiras. Toda vez que houver esse tipo de situação, e desde que estou aqui essa foi a que me deixou mais descontente, mas a equipe sempre reagiu, a questão não é apenas reagir, é agir, e não viver só de reações”, afirmou Paulo Autuori.

Mesmo com a derrota na última rodada, em caso de vitória sobre o Inter o Rubro-negro pode encostar nos primeiros colocados. Cenário que para Autuori deixaria o grupo novamente na mesma situação que estava antes de pegar o Figueirense. “Os cenários se criam e após jogo de domingo podemos ter esse mesmo cenário que tínhamos no jogo contra o Figueirense, agora contra o Santa Cruz. Temos que estar prontos para responder isso e conscientes daquilo que deixamos de fazer, exijo que todos tenham essa consciência e não fiquemos de justificativas sem qualquer tipo de cabimento”, destacou o comandante.

Ressaltando outra vez a necessidade de começar a agir e não apenas reagir, o técnico entende que é preciso detectar o que está errado e que oscilações são normais dentro do campeonato. “Já passei por muitas situações assim, é aqui mesmo, e aqui a equipe sempre deu uma resposta positiva. Temos que parar de reagir, nós temos é que agir. Toda vez que você está reagindo é porque deixou de fazer algo. O mais importante é entender porque as coisas se passam e o que se passou no último jogo. É assumir que fomos mal em todos os sentidos, e a partir daí você começa a mudar aquilo que pode ser o próximo jogo”, projetou Autuori.

Após a derrota para o Figueira, o zagueiro Paulo André citou a perda de alguns atletas a falta de investimento para tornar o grupo mais forte como um dos motivos pela queda da equipe no segundo turno. Paulo Autuori não entrou na questão, mas voltou a falar em não criar justificativas pelo mau desempenho. “Cada um tem sua ideia e já me ouviram falar muitas vezes que eu trabalho com aquilo que tenho e minha função é tirar o melhor de todos. Sobre isso eu falo tranquilamente, sobre outros aspectos não. Em nenhum momento vou aceitar qualquer tipo de justificativa em relação ao que se passou contra o Figueirense, a gente tem que entender que na vida as coisas acontecem, existe um porque e não tenho que ficar criando qualquer justificativa para tirar atenção do principal”, disse o treinador atleticano.