Atlético e Vasco se enfrentam nesta noite, a partir das 20h30, na Arena da Baixada, vivendo situações opostas no Campeonato Brasileiro. Vice-líder da competição, a equipe cruzmaltina precisa vencer o Furacão para retomar a ponta da tabela. O Rubro-Negro, por outro lado, quer somar mais três pontos para ficar perto de deixar a zona de rebaixamento.

Apesar da situação ruim neste momento do Brasileirão, o Atlético possui um bom retrospecto jogando contra o Vasco em seu estádio. Nos dez jogos realizados até aqui, foram seis vitórias rubro-negras, três empates e apenas uma vitória do time carioca, na Copa Sul-Americana de 2007, pelo placar de 4 a 2. Isso significa que o Furacão nunca perdeu para o Vasco em partidas do Campeonato Brasileiro realizadas na Areena da Baixada.

O Atlético, inclusive, possui um histórico de goleadas contra a equipe cruzmaltina jogando em Curitiba. No Brasileirão de 2005, o Rubro-Negro venceu o time carioca pelo largo placar de 7 a 2. No ano seguinte, o Furacão venceu por 6 a 4, e na ocasião, o técnico do Vasco, Renato Gaúcho, chegou a dizer que “até uma grávida faria gol na defesa do Vasco”.

Nos dois últimos encontros na Arena da Baixada, empate em 0 a 0 no Brasileirão de 2010 e empate em 2 a 2 pelas oitavas de final da Copa do Brasil deste ano. O Furacão acabou eliminado pelo próprio Vasco, que acabou vencendo a competição.

Matemática para fugir do rebaixamento

Alguns matemáticos apontam que o Atlético precisa vencer seis dos dez jogos que faltam no Brasileirão para atingir 45 pontos e se livrar do rebaixamento. Para o técnico Antônio Lopes, essa conta é furada, pois os matemáticos não levam em consideração os adversários que cada equipe lá debaixo da tabela vai enfrentar até o fim do campeonato.

“Não precisa. Acho que o matemático está errado, não precisamos de 18 pontos. O cara precisa levar em consideração os adversários que cada equipe vai enfrentar até o fim. Tudo bem, chegaríamos a 45 pontos com mais 18. Mas os outros times que estão ali embaixo também não têm conseguido bons resultados e acho que a pontuação mínima para permanencer vai ficar em menos de 45”, disse Lopes.