Em nota divulgada em seu site oficial, a diretoria do Atlético se diz “surpreendida” com a confirmação da partida contra o Ipatinga, no dia 05 de junho, para o estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa. A CBF oficializou ontem a realização desse duelo fora de Curitiba.

A nota rubro-negra fala sobre as negociações frustradas com Coritiba e Paraná para mandar as partidas do Atlético pela Série B em Curitiba, mas garante que o clube está em contato constante com CBF e Federação Paranaense de Futebol (FPF) para não ter que atuar fora da capital paranaense.

O texto, inclusive, fala em um “desencontro” gerado por diversos ofícios enviados pela CBF com relação aos locais dos jogos do Furacão. Confira abaixo, na íntegra, a nota publicada no site oficial do Atlético, no fim da tarde desta terça-feira (clique aqui e acesse o texto original, que possui em anexo os ofícios encaminhados pela CBF).

“É de conhecimento da sociedade paranaense e, em especial do torcedor atleticano, a necessidade do Atlético Paranaense buscar outros locais para o seus jogos em função da parceria que tem com a CBF e a FIFA para realização da Copa do Mundo em Curitiba, obrigando-se a adequar o seu estádio aos moldes da entidade internacional.

Desde o início do ano, a diretoria do Clube Atlético Paranaense negocia com outros clubes da capital o aluguel das respectivas praças esportivas. Como foi exposto nas últimas semanas, o Atlético acertou com o Coritiba o uso do Couto Pereira para os jogos do Campeonato Brasileiro da Série B. O acordo foi feito entre os Presidentes dos dois clubes, acertando inclusive os valores de aluguel do espaço, porém, no momento da oficialização documental junto à CBF, o Coritiba não cumpriu o combinado, procurando a entidade para afirmar não mais concordar com a indicação de seu estádio para os jogos do Atlético durante a disputa doBrasileiro deste ano.

Também procurado, o Paraná Clube pediu valores fora da realidade do mercado para locar a Vila Capanema ao Atlético durante a competição nacional.

É importante ressaltar que o Atlético nunca pediu favor a ninguém e sim procurou outros clubes para propor um negócio e pagar pelo mesmo.

Ao ver que os clubes da capital não cooperariam para que nossas partidas fossem realizadas em Curitiba, o Atlético Paranaense procurou a Federação Paranaense de Futebol (FPF) e a Confederação Brasileira de Futebol solicitando a mediação das entidades no assunto.

No dia 08 de março, a CBF encaminhou o ofício 037/12 ao presidente da FPF, Hélio Cury, confirmando a indicação da Vila Capanema para os jogos do CAP durante toda a disputa da Série B. Porém, no dia 21 de maio, um novo ofício da CBF garantiu apenas os três primeiros jogos de mando do CAP para o estádio do Paraná Clube. Agora, uma nova surpresa, a mudança da partida contra o Ipatinga (segundo jogo como mandante do CAP) para o estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa.

O Atlético Paranaense foi surpreendido com as últimas decisões, já que havia recebido o documento que confirmava todos os jogos do Campeonato Brasileiro na Vila Capanema, documento este, responsável pela garantia dada ao seu torcedor de que todos os jogos de seu mando no Campeonato Brasileiro seriam em Curitiba.

O Atlético Paranaense está buscando ainda, junto às entidades responsáveis, entender melhor os desencontros gerados pelos diversos ofícios encaminhados ao Clube para finalmente anunciarmos o local de nossos jogos a partir da terceira rodada, já que para a próxima a CBF determinou o Durival de Brito.

Estas dificuldades momentâneas têm um objetivo muito maior, a adequação da Arena para a Copa do Mundo e legar ao torcedor atleticano um dos melhores estádios do Brasil.

No momento em que a grandeza do projeto assusta os concorrentes e isola o Clube na busca de seus objetivos é fundamental a compreensão e o apoio dos torcedores – que nunca faltou – neste momento tão importante para o futuro do Atlético Paranaense.”