Era aquele famoso jogo de seis pontos no estádio Pituaçu. O Atlético, 18º colocado, foi a Salvador enfrentar o Bahia, primeiro time fora da zona do rebaixamento. O resultado, no entanto, ficou muito abaixo daquele que a torcida rubro-negra esperava. O Furacão perdeu por 1 a 0 e se complicou de vez no Campeonato Brasileiro.

Com essa derrota, o Atlético se mantém na 18ª colocação, com apenas 23 pontos, a quatro pontos de deixar a zona do rebaixamento. O problema é que o Ceará ainda joga nesta quinta-feira, e caso vença o Palmeiras fora de casa, aumenta a distência do Furacão para a 16ª colocação da tabela. O Rubro-Negro agora faz dois jogos consecutivos na Arena da Baixada, contra Fluminense e Internacional.

Atlético joga bem no primeiro tempo e Bahia reclama da arbitragem

O Atlético começou bem na partida, com mais posse de bola e tranquilidade na hora de explorar os contra-ataques. O Bahia, bem marcado pelo Furacão, encontrava dificuldades em sair para o jogo. Aos 20 minutos, Edílson cruzou para a área, Santiago García cabeceou com muito perigo, mas a bola passou raspando a trave baiana.O time da casa só chutou aos 24 minutos: Após cobrança de falta de Marcos, Paulo Miranda desviou na entrada da área e Renan Rocha fez grande defesa.

O tempo passava e o Atlético seguia bem em campo, sem dar muito espaço para o adversário jogar. Mas aos 33, quase que o Bahia abriu o placar, em chute cruzado de Marcos, que obrigou o goleiro rubro-negro a operar um verdadeiro milagre em Salvador. Aos 45, Jones se chocou com Renan Rocha, caiu dentro da área, pediu o pênalti, mas o juiz nada marcou e ainda deu amarelo para o atacante tricolor. O lance gerou inúmeros protestos dos jogadores do Bahia, mas de qualquer forma, a partida foi para o intervalo com empate sem gols.

Falha da zaga rubro-negra complica a equipe no Brasileirão

O Atlético voltou bem também para a etapa final e podia ter aberto o placar, aos 7 minutos: Marcelo Oliveira lançou Santiago García, mas o uruguaio bateu pela linha de fundo. Um minuto depois,Guerrón cruzou para Paulo Baier, mas Paulo Miranda se antecipou e mandou para escanteio. Aos 20, Morro García recebeu, fez o giro, passou pelo marcador e bateu forte, da entrada da área, mas a bola passou arrancando tinta do travessão de Marcelo Lomba.

Aos poucos, o Bahia foi crescendo em campo e passou a ter mais posse de bola. Mas nem por isso criava jogadas que assustassem Renan Rocha. O Atlético, por outro lado, saía nos contra-ataques, mas pecava nas finalizações. Até que, aos 30 minutos, a zaga do Furacão falhou completamente, Júnior recebeu livre e bateu por cobetura, sem chance para Renan Rocha: 1 a 0 Bahia. Nos minutos finais da partida, a equipe rubro-negra saiu de maneira desesperada em busca do empate, enquanto o tricolor só se defendia e segurou a vitória até o apito final.