Por João Pedro Alves

Poderia ter cessado, mas a má fase do Atlético no Paranaense teve sequência na noite desta quinta-feira (20). Poderia porque mesmo diante de um time do alto da tabela como o Londrina, que tinha a chance de assumir a liderança, o Furacão sub-23 não se intimidou e ficou na frente no placar duas vezes – tanto no primeiro quanto no segundo tempo. Mas faltou saber administrar, e o Tubarão foi buscar o resultado e conseguiu o empate em 2 a 2 no Ecoestádio Janguito Malucelli.

Ainda na vice-lanterna, o Atlético retorna aos gramados no domingo (23), às 18h30, quando recebe o Arapongas novamente no Ecoestádio. No mesmo dia, mas às 16h, o Londrina vai ao noroeste do estado para enfrentar o Cianorte no estádio Albino Turbay.

Ouça os gols do empate narrados por Caio Junior na Rádio Banda B:

0038 – CAMP PARANAENSE – ATLETICO X LONDRINA – 1 GOL CRISLAN – 20-02 – CAIO JR 0039 – CAMP PARANAENSE – ATLETICO X LONDRINA – 2 GOL ARTHUER – 20-02 – CAIO JR 0040 – CAMP PARANAENSE – ATLETICO X LONDRINA – 3 GOL MARIO SERGIO – 20-02 – CAIO JR 0041 – CAMP PARANAENSE – ATLETICO X LONDRINA – 4 GOL GROLI – 20-02 – CAIO JR

Furacão domina e marca, mas recua e é punido com empate

Com apenas uma vitória em seis jogos e a vice-lanterna do Paranaense, o Atlético tinha como único foco os três pontos para amenizar a situação incômoda. Não importava se do outro lado vinha um embalado Londrina, que em caso de sucesso no Ecoestádio assumiria a liderança do estadual. Com essa necessidade clara, a piazada rubro-negra iniciou o jogo partindo para o abafa e tentando decidir logo de cara.

O primeiro “grande lance” da noite, no entanto, foi a expulsão do diretor de futebol Antônio Lopes do gramado – não sem alguma discussão e “carteirada” do delegado. Depois disso, coincidentemente, só deu Furacão no ataque. Com grande volume e posse de bola, o time de Petkovic criou algumas chances claras. A melhor delas em um chute forte e cruzado de Crislan defendido por Vitor.

Pelo panorama, o gol do Atlético era questão de tempo. E isso durou apenas até os 27 minutos. Foi nesta marca que Zezinho recebeu um lançamento na frente em um contra-ataque, invadiu a área e deixou Crislan livre para completar para as redes.

A inauguração do marcador, ironicamente, foi negativa para os rubro-negros. O motivo foi a mudança na postura, já que o time da capital deixou de jogar e passou apenas a esperar o Tubarão para sair no contragolpe. Mas bastou uma troca de passes certeira dos londrinense para o empate acontecer. Ele saiu aos 36 minutos, quando Maicon Silva recebeu na direita e cruzou na medida para Arthur testar para dentro.

O jogo que parecia totalmente favorável ao Atlético se complicou com uma alteração de filosofia equivocada. E os últimos minutos do primeiro tempo não foram suficientes para voltar à dianteira do placar.

Apesar de gol relâmpago, história se repete e vitória escapa

Para não cometer os mesmos erros de antes, o Atlético voltou do intervalo disposto a resolver a parada. E conseguiu de forma relâmpago, com 40 segundos de jogo. Logo no primeiro toque na bola, Taiberson escapou pela direita e serviu Mário Sérgio na área, que girou e bateu de canhota para colocar o 2 a 1 no placar. Era o início ideal, que nem o torcedor mais otimista esperava.

Como consequência desta mudança rápida no resultado, o Londrina teve que ir para cima. Houve alguma semelhança com o que aconteceu no primeiro tempo. O time do norte do estado trabalhou lá na frente, mas faltava que as chances fossem criadas. A situação só melhorou quando Rone Dias entrou em campo e, com alguma liberdade, ajudou ofensivamente.

A grande participação de Rone foi em uma bola parada, quando cobrou um escanteio de trivela e a trave impediu que um belo gol olímpico fosse marcado no Ecoestádio. O empate pode não ter saído neste lance plástico, mas deu ânimo para que o Tubarão não diminuísse o ritmo contra um Atlético, de certa forma, acomodado.

Apostando nessa pegada, o Londrina quase empatou em um chute forte de Alexandre Oliveira bem defendido por Rodolfo. Mas logo após salvar, o goleiro falhou. Foi “do céu ao inferno” em questão de um minuto. O cronômetro marcava 36 minutos quando um cruzamento foi feito na área, o camisa 1 tentou sair para cortar e Douglas Grolli cabeceou para deixar tudo igual.

Novamente o pouco tempo impediu que o Atlético buscasse o gol que garantiria a vitória. Ficou ainda mais difícil quando o zagueiro Ricardo Silva recebeu o segundo amarelo e foi expulso. E ao apito final o jogo terminou empatado em 2 a 2, um resultado que não satisfez nenhuma das equipes.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 2 X 2 LONDRINA

Local: Ecoestádio Janguito Malucelli, em Curitiba (PR).
Data: 20 de fevereiro de 2014, quinta-feira.
Horário: 19h30.

Atlético: Rodolfo; Mário Sérgio, Ricardo Silva, Lucas Alves e Sidcley; Otávio, Hernani, Zezinho (Jonatan Lucca) e Marcos Guilherme; Crislan (Erwin) e Dominic (Taiberson).
Técnico: Dejan Petkovic.

Londrina: Vitor; Maicon Silva, Douglas Grolli, Gilvan e Paulinho; Diogo Roque, Silvio (Rone Dias), Junior Paraíba e Celsinho (Neilson); Lucas (Alexandre Oliveira) e Arthur.
Técnico: Claudio Tencati.

Público pagante: 1.459 pessoas.
Público total:
2.068pessoas.
Renda: R$ 16.600,00.

Cartões amarelos: Ricardo Silva (CAP). Silvio, Lucas, Celsinho, Diogo Roque, Maicon Silva, Neilson (LEC).

Cartão vermelho: Ricardo Silva (CAP).

Gols: Crislan (CAP), aos 28 minutos, e Arthur (LEC), aos 36 minutos do primeiro tempo. Mário Sérgio (CAP), aos 40 segundos, e Douglas Grolli (LEC), aos 36 minutos do segundo tempo.