O Atlético segurou um empate contra o Criciúma dentro do Heriberto Hülse e ficou a um empate para voltar a Série A do Brasileirão. Com o resultado, a equipe do Tigre garantiu o acesso para a elite. O jogo acabou no 0 a 0.

Primeiro tempo equilibrado

As duas torcidas estavam presentes dentro do estádio Heriberto Hülse para assistir o jogo que poderia até dar a classificação para as duas equipes para a Série A do Brasileirão.

O primeiro a chegar foi o time da casa. Depois de cobrança de falta, o meia Kléber em posição de impedimento tocou de cabeça, a bola ainda sobrou para o zagueiro Matheus Ferraz, que também em poisção irregular, empurrou para dentro do gol, mas o bandeira levantou o instrumento.

Apesar do susto, o Furacão foi pouco melhor que o Tigre dentro de campo na primeira etapa, mesmo sem ter muitos ataques agudos que levassem perigo ao gol de Michel Alves.

Torcidas só comemoram o gol do Goiás

O Furacão voltou com tudo para ir atrás da vitória, tentando se aproveitar do empate que estava dando na partida entre São Caetano e Goiás, no interior paulista.

O grande problema foi que o Azulão abiru o placar contra o Goiás e deixou o Atlético em alerta. Mas não demorou muito para as duas torcidas vibrarem dentro do Heriberto Hülse, pois o Goiás conseguiu o empate poucous minutos depois.

Com o resultado de 0 a 0, o Furacão permaneceu na terceira colocação com 70 pontos, dois de diferença do São Caetano, enquanto o Criciúma garantia a subida para a elite do futebol brasileiro.

No próximo sábado (24), o Furacão terá o clássico contra o Paraná dentro do EcoEstádio e precisa apenas de um empate para garantir vaga na Série A do Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA
CRICIÚMA 0 X 0 ATLÉTICO

Local: Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (SC).
Data: 17 de novembro de 2012, sábado.
Horário: 16h20.

Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS).
Assistentes: José Javel Silveira (RS) e Rafael da Silva Alves (RS).

Criciúma:Michel Alves; Éric, Matheus Ferraz,Ozéia e Marlon; França, Fransérgio (Elias), Válber (Gilmar) e Kléber; Lins (Douglas) e Zé Carlos.
Técnico: Paulo Comelli.

Atlético: Santos; Maranhão, Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; Deivid, João Paulo, Felipe (Henrique) e Elias (Paulo Baier); Marcelo e Marcão.
Técnico: Ricardo Drubscky.

Cartões amarelos: Felipe e Luiz Alberto (CAP).