Divulgação/Atlético Paranaense
Marcinho comemora contra o Palmeiras um dos quatro gols que fez pelo Atlético no Brasileirão

Há 15 jogos, Marcinho é o dono do meio campo do Atlético Paranaense. Desde que voltou do futebol árabe, em junho, o jogador se transformou no principal referencial da criação rubro-negra, além de também ostentar, hoje, o posto de artilheiro do time com quatro gols marcados e líder também no número de assistências, com seis em todas as partidas em que esteve em campo.

Com uma média de 22 passes por jogo, Marcinho sabe bem como tratar a bola. Coincidências à parte, o meia esteve em campo em cada uma das quatro vitórias que o Furacão conquistou no Brasileirão, contra Internacional, Cruzeiro, Santos e Botafogo.

Na intenção de combater o que Antônio Lopes denominou “Marcinho-dependência”, o jogador ficou no banco de reservas contra o Colorado, mas entrou no intervalo e resolveu a partida iniciando as jogadas que deram origem aos dois gols. “Ele é importante. Joga tanto de atacante quanto de meia e, nessa função, chega como atacante também. É um jogador que faz bem esse trabalho de posse de bola no campo de ataque”, comentou o técnico após a vitória do Furacão.

Junto ao maestro Paulo Baier, Marcinho tem tido um aproveitamento ainda melhor. “Posso dizer que tenho um jogador que me completa. Nós temos a facilidade de enxergar um ao outro, e quando jogamos juntos as coisas acontecem”, analisou o meia. “O ‘velhinho’ me ajuda cada dia mais”, brincou o jogador.