Por João Pedro Alves

Depois do vice-campeonato no último Paranaense, foi criada uma expectativa em cima do atual time sub-23 do Atlético. Mas com quatro rodadas disputadas até aqui, os comandados de Petkovic ainda não deslancharam e nenhuma vitória foi conquistada. A falta de resultados e a vice-lanterna incomodam, e o pensamento dentro do CT do Caju é acabar o mais rápido possível com essa sequência negra.

(Foto: Divulgação/Atlético)

Mosquito estreou como profissional em Paranaguá e deixou sua marca (Foto: Divulgação/Atlético)

Uma das grandes apostas para marcar os gols e ajudar nessa missão é o atacante Mosquito, de 18 anos, que constantemente é convocado para as seleções de base. Ele estreou contra o Rio Branco e marcou um golaço, mas não conseguiu evitar a derrota no litoral. De acordo com a joia atleticana, porém, a vitória virá no momento certo: o clássico Atletiba do próximo final de semana.

Será o maior desafio do ano até agora para os jovens rubro-negros, mas Mosquito acredita que é o melhor momento para o Furacão voltar a vencer. Até porque, tem jeito melhor de acabar com uma marca negativa do que diante do maior rival?

“É claro que a nossa equipe não está gostando nada de empatar, nem de perder. Então, vamos procurar buscar a primeira vitória no clássico. Darei o meu máximo para ajudar o Furacão para que isso aconteça”, disse o atacante. “Vamos procurar fazer uma bela semana para chegarmos ao clássico e conseguirmos ganhar o jogo”, emendou.

A vitória é tida como essencial no Atlético para melhorar a confiança do elenco e a situação na tabela. Com os apenas dois pontos conquistados, o time da Baixada ocupa a 11ª colocação e teria que disputar o “torneio da morte”. A campanha conta com dois empates e duas derrotas, para alarmantes 16,7% de aproveitamento.

O Atletiba que pode representar o início de uma reabilitação do Furacão no Paranaense, válido pela quinta rodada, está marcado para as 19h30 do próximo domingo (9) na Vila Capanema, em Curitiba.

Notícias relacionadas:

Atlético é derrotado por 2 a 1 pelo Rio Branco no litoral e segue ‘na fila’