Por João Pedro Alves

Foi preciso muito empenho, entrega e, por que não, tempo para o Atlético chegar à terceira vitória seguida no Campeonato Paranaense. Depois de sair atrás no placar no primeiro tempo, o sub-23 rubro-negro teve que pressionar e não desistir para vencer o Maringá de virada por 2 a 1 na noite desta quinta-feira (6) no Ecoestádio Janguito Malucelli. O gol que garantiu os três pontos e a aproximação da vaga para as quartas de final foi anotado apenas nos acréscimos por Harrison.

Com a vitória, o Furacão chegou aos 15 pontos e deu um salto do Z4 para a terceira colocação na tabela. Um empate no último jogo desta fase representa a classificação para as quartas de final.

Valendo a vaga, o Atlético volta a campo no domingo (9), quando tem pela frente um clássico contra o rival Paraná Clube na Vila Capanema. Vice-líder, o Maringá encerra sua participação nesta etapa contra o Rio Branco no Gigante do Itiberê, em Paranaguá.

Ouça os gols da vitória rubro-negra narrados por Caio Junior na Banda B:

0063 – CAMP PARANAENSE – ATLETICO X MARINGÁ – 1 GOL CRISTIANO 06-03 – CAIO JR 0064 – CAMP PARANAENSE – ATLETICO X MARINGÁ – 2 GOL NATAN – 06-03 – CAIO JR 0065 – CAMP PARANAENSE – ATLETICO X MARINGÁ – 3 GOL HARRISON – 06-03 – CAIO JR

Furacão cria, mas não chega às redes e acaba sofrendo o gol

Depois de duas vitórias seguidas, o Atlético teve pela frente um adversário duro no fechamento da 10ª rodada do Paranaense na busca pela vaga no mata-mata. Era o vice-líder Maringá, uma das sensações do estadual e que assumiria a ponta em caso de vitória. O resultado foi um jogo que começou à toda e com uma chance clara de gol para cada lado logo no primeiro minuto.

Referência lá frente, foi Crislan quem quase marcou para os rubro-negros em um chute de fora da área e em uma bobeira do goleiro, que soltou a bola na pequena área e ele não soube aproveitar. Os gols não convertidos logo seriam lamentados. Mais precisamente aos 13 minutos, quando o adversário mostrou como colocar a bola nas redes. A abertura do placar aconteceu após um vacilo de Ricardo Silva, que errou na saída de bola e deixou que Gabriel Barcos desse o passe para Cristiano marcar de dentro da área.

O gol foi imediatamente sentido pelo Furacão sub-23. Aquele volume que a equipe apresentou nos primeiros minutos logo desapareceu. Foi o efeito inverso do que aconteceu com a Zebra. O 1 a 0 fez com que os maringaenses ganhassem confiança e seguissem apostando em descidas em velocidade, que só não resultaram em mais gols porque Rodolfo trabalhou em conjunto com os zagueiros.

O Atlético só foi se recuperar do baque já no final do primeiro tempo, depois que o Maringá deu mais um sufoco. Nos últimos minutos antes da ida para o intervalo, os rubro-negros se adiantaram em campo e esboçaram alguns ataques, tentando impor uma pressão derradeira. Mas nenhuma chance para que o empate aparecesse no placar foi criada.

Maringá dá alguns sustos, mas insistência rubro-negra garante virada nos acréscimos

Com a melhora no final da primeira etapa, a proposta do Atlético era voltar do intervalo da mesma forma para tentar marcar o primeiro gol logo cedo. O time até ficava no campo do adversário, mas ainda faltava uma criatividade maior para levar a melhor sobre a defesa do Maringá. A única vez que isso aconteceu nos primeiros minutos foi em uma cobrança de falta que terminou com uma cabeçada perigosa de Hernani para fora.

Mesmo assim, o jogo era confortável para a Zebra de certa forma. Além de não correr muitos riscos na defesa, a equipe do norte do estado conseguia encaixar alguns bons contragolpes principalmente pelo lado direito. Foi por ali que quase chegou ao segundo gol com um chute de longe de Serginho Paulista e outro de mais perto de Reginaldo que pararam em grandes intervenções de Rodolfo.

Essas pontadas, mesmo que esporádicas, fizeram o Furacão voltar a dar um abafa no ataque para decidir logo e chegar à igualdade. E deu certo. Crislan quase balançou as redes após uma triangulação defendida por Ednaldo e Harrison também levou perigo em cobrança de falta. Mas o gol do empate só saiu aos 31 minutos, quando Nathan recebeu sozinho dentro da área e finalizou rasteiro com tranquilidade para dentro.

Desta vez, o gol ao invés de representar uma queda deu ânimo ao Atlético. A consequência foi a ida para frente para tentar achar o gol da vitória no fim. A situação rubro-negra ainda foi facilitada pela expulsão de Serginho Paulista após receber o segundo cartão amarelo aos 40 minutos. Tudo parecia favorável, parecia que os três pontos seriam dos comandados de Petkovic.

Faltava era voltar a balançar o barbante do Ecoestádio. A partir de então a tática e a organização deram lugar à vontade e o sentimento de entrega. E os atleticanos foram recompensados. O jogo já estava nos acréscimos, aos 46 minutos, quando um levantamento foi feito na área pelo lado esquerdo e ninguém cortou. A bola ficou sem dono até encontrar Harrison na segunda trave e ele fuzilar para dentro para garantir uma vitória emocionante por 2 a 1 sobre o Maringá.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 2 X 1 MARINGÁ

Local: Ecoestádio Janguito Malucelli, em Curitiba (PR).
Data: 6 de março de 2014, quinta-feira.
Horário: 19h30.

Atlético: Rodolfo; Mário Sérgio (Jean Felipe), Ricardo Silva, Lucas Alves e Sidcley; Juninho (Guilherme), Otávio, Hernani (Harrison) e Marcos Guilherme; Nathan e Crislan.
Técnico: Dejan Petkovic.

Maringá: Ednaldo; Reginaldo, Fabiano, Juninho e Fernandinho; Baiano, Serginho Paulista, Fábio Gomes e Max (Piki); Cristiano (Gilvan) e Gabriel Barcos (Fábio Martins).
Técnico: Claudemir Sturion.

Público pagante: 1.969 pessoas.
Público total: 2.441 pessoas.
Renda: R$ 20.840,00.

Cartões amarelos: Rodolfo, Guilherme (CAP). Serginho Paulista, Reginaldo, Fernandinho, Fabiano (MGA).

Cartão vermelho: Serginho Paulista (MGA).

Gols: Cristiano (MGA), aos 13 minutos do primeiro tempo. Nathan (CAP), aos 31 minutos, e Harrison (CAP), aos 46 minutos do segundo tempo.