Aos 28 minutos do primeiro tempo, Wagner Diniz foi derrubado por Edinho dentro da área e o árbitro marcou pênalti a favor do Atlético. Era a chance do Furacão abrir o placar diante do Fluminense, na Arena da Baixada. Mas Cléber Santana desperdiçou a cobrança, batendo no meio do gol e facilitando a defesa de Diego Cavalieri.

Após o empate em 1 a 1, o técnico Antônio Lopes revelou que o meia Paulo Baier, o cara das bolas paradas do Atlético, não se sentiu confiante para bater a penalidade máxima, e por isso, Cléber Santana acabou cobrando. “Quem tinha que bater era o Paulo, mas eu conversei com ele, e ele me disse que não estava se sentindo bem para bater o penâlti e aí o Cléber acabou batendo”, explicou o treinador.

No intervalo da partida, Cléber Santana lamentou a cobrança desperdiçada, mas disse que “só erra pênalti quem bate”. Com o empate de ontem, o Atlético segue na 18ª colocação e precisa torcer para Atlético-MG e Ceará perderem seus jogos para ficar a três pontos de deixar a zona do rebaixamento.