Depois de ser pego no exame antidoping por uso de cocaína quando ainda jogava no Uruguai, o atacante Santiago García aguarda o julgamento em seu país, que ainda não tem data marcada. Lá, quem analisa e pune os casos de doping é o Ministério do Esporte e não as federações locais.

No entanto, um erro na realização do exame pode livrar o atleta de uma punição. Isso porque o antidoping foi feito em um laboratório não credenciado pela FIFA, e por conta disso, El Morro pode até não ser punido – ou no caso da aplicação de uma pena, o Atlético encontraria facilidade em anular o resultado do julgamento, já que o laboratório não é filiado à FIFA.

Por conta disso, o Atlético pode escalar e utilizar o jogador normalmente em suas partidas do Campeonato Brasileiro. Este caso é semelhante ao de Rodrigo Souto, ex-atleta do São Paulo, que também foi pego no antidoping, mas acabou não sendo punido porque o laboratório em que o exame foi feito também não era credenciado na entidade máxima do futebol mundial.