Por Guilherme Coimbra

La UC tem início ruim na temporada e busca reabilitação na Libertadores (Divulgação/Universidad Católica)

Adversária do Atlético na primeira rodada do Grupo 4 da Libertadores, nesta terça-feira (7), na Arena da Baixada, a Universidad Católica atravessa um momento complicado no início de 2017. Atual bicampeã chilena, a equipe só venceu uma das cinco partidas que disputou na temporada e vem de quatro derrotas consecutivas. A última delas, no clássico do último sábado (4), contra o Colo-Colo, aumentou a pressão para cima do time na estreia da competição continental.

Penúltima colocada da Clausura, a equipe do técnico Mario Salas conquistou a única vitória na temporada há um mês, no 1 a 0 sobre o San Luis de Quillota, na estreia do campeonato. De lá para cá, foram quatro derrotas consecutivas para Everton (2 a 1), Santiago Wanderers (3 a 0), Unión Española (3 a 2) e, por último, no clássico com o Colo-Colo, por 2 a 0, no último sábado.

O goleiro Cristopher Toselli afirmou que a equipe está afetada com situação ruim (Divulgação/Universidad Católica)

O revés para o rival ampliou ainda mais o momento difícil que a “La UC” atravessa. Em entrevista após a partida, o goleiro Cristopher Toselli chegou a afirmar: “Somos uma equipe grande e abandonar o campeonato seria o mais fácil. Temos que seguir lutando. Estamos afetados, doloridos, mas não há tempo para lamentarmos”.

Essa será a 26ª participação da Universidad Católica em Libertadores. A melhor participação na competição foi em 1993, quando chegou à decisão e acabou sendo derrotada pelo São Paulo, ficando com o vice-campeonato. Além disso, foi semifinalista em quatro ocasiões: 1962, 1966, 1969 e 1984. A última presença da “La UC” no torneio havia sido em 2012, quando acabou eliminada ainda na fase de grupos.

O Atlético recebe a Universidad Católica nesta terça-feira (7), às 21h, na Arena da Baixada, em duelo válido pela primeira rodada do Grupo 4 da Libertadores. A chave ainda conta com Flamengo e San Lorenzo-ARG.