Por Esporte Banda B 

Luciano Cabral é acusado de homicídio na Argentina. (Divulgação/Atlético)

Acusado de participar de um homicídio logo no primeiro dia do ano, o meia do Atlético, Luciano Cabral, foi transferido nesta quarta-feira para o presídio de San Rafael, na cidade de Mendoza, na Argentina. Segundo informações do Dia del Sur, a justiça argentina negou o pedido de liberdade do jogador.

Além de Cabral, o pai do meia, Juan Oscar Cabral, e três menores de idade teriam participado do assassinato de Joan Villegas com golpes de pedra na cabeça. Inicialmente, o meia do Rubro-Negro não estava entre os nomes envolvidos no crime, mas foi detido no dia em que foi na delegacia para prestar depoimento.

O juiz Sérgio González acatou o pedido da justiça federal em esperar por mais 10 dias até o encerramento das investigações antes de realizar a audiência para decidir a condenação ou absolvição dos acusados. O tempo é para que a justiça possa ter o resultado das provas do crime e também confrontar os depoimentos de Luciano Cabral com o de seu pai.

Emprestado pelo Argentinos Juniors, o meia tem contrato com o Atlético até o meio de 2017.