Istomin surpreendeu e eliminou Djokovic do Aberto da Austrália (Divulgação/ATP)

Hexacampeão do Aberto da Austrália e vencedor de quatro das últimos cinco edições do Grand Slam realizado em Melbourne, Novak Djokovic foi eliminado de forma surpreendente, nesta quinta-feira, ao cair diante do usbeque Denis Istomin, que assombrou ao superar o sérvio por 3 sets a 2, com parciais de 7/6 (10/8), 5/7,

2/6, 7/6 (7/5) e 6/4, para avançar à terceira da competição.

Atual vice-líder do ranking mundial, Djokovic ficou com o título na Austrália em 2008, 2011, 2012, 2013, 2015 e 2016, mas viu o seu domínio no importante torneio acabar diante de um adversário que ocupa hoje apenas a 117ª posição da ATP e entrou na chave principal como convidado da organização.

Inspirado, Istomin conseguiu essa proeza depois de ter sido derrotado nas cinco partidas anteriores que fez com Djokovic no circuito profissional, sendo duas delas no próprio Aberto da Austrália, em 2010 e 2014. Ele triunfou após 4h48min de batalha com o favorito, sendo que essa também foi a primeira vez que o usbeque superou um tenista do Top 10 em um torneio de Grand Slam

Com o triunfo histórico em Melbourne, onde Djokovic não perdia no Aberto da Austrália desde quando caiu diante do suíço Stan Wawrinka nas quartas de final de 2014, Istomin se credenciou para enfrentar na terceira rodada o espanhol Pablo Carreño Busta, que em outro duelo desta quinta arrasou o britânico Kyle Edmund com parciais de 6/2, 6/4 e 6/2.

Para se tornar o improvável classificado à próxima fase, o azarão levou a melhor sobre Djokovic em dois sets definidos apenas no tie-break, assim como reverteu uma vantagem de 2 sets a 1 após ter levado uma virada do sérvio. Com nada a perder, ele disparou 17 aces e 63 winners contra o seu poderoso rival, que sucumbiu após cometer 72 erros não-forçados, contra 61 do usbeque.

No final das contas, porém, o que acabou pesando foi a maior eficiência de Istomin nos momentos decisivos, pois Djokovic conseguiu mais bolas vencedoras (68) e um maior número de quebras de saque. Foram seis break points convertidos pelo sérvio em 15 chances, contra quatro em 14 conseguidas pelo usbeque.

“Todos os méritos para Denis por jogar de forma maravilhosa. Ele mereceu vencer”, reconheceu Djokovic após o confronto. “Ele foi melhor jogador nos momentos de aperto”, completou o sérvio na entrevista que deu após o confronto.

O hexacampeão do Grand Slam também não escondeu a decepção com a sua atuação, embora tenha preferido exaltar a grande partida feita por Istomin. “Obviamente, eu não fiquei satisfeito com o meu desempenho geral, mas eu tenho de parabenizar meu adversário Sempre que precisou, ele veio com um grande saque, um grande jogo”, ressaltou.

Istomin, por sua vez, ficou perplexo com o próprio desempenho e enfatizou: “Essa é a maior vitória para mim. Significa muito”. “Agora sinto que posso jogar com esses caras (do Top 10), e estar com eles no mesmo nível”, reforçou o usbeque, cuja única vitória nos últimos 33 jogos contra um tenista posicionado entre os dez primeiros colocados do ranking havia sido em 2012, quando superou David Ferrer em Indian Wells, nos Estados Unidos, então quando o espanhol era o quinto colocado da ATP.

ÚNICA ZEBRA E ROGERINHO CAI – Curiosamente, Djokovic foi o único favorito a ter sido batido nesta quinta-feira em todos os jogos já encerrados na chave masculina do Aberto da Austrália. Todos os outros cabeças de chave venceram, entre eles o canadense Milos Raonic, terceiro pré-classificado, que superou o luxemburguês Gilles Muller por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 6/4 e 7/6 (7/4).

Com isso, Raonic, semifinalista no ano passado em Melbourne, foi à terceira rodada e terá como próximo rival o francês Gilles Simon, que em outro jogo do dia foi responsável pela eliminação do brasileiro Rogério Dutra Silva. Ele arrasou o brasileiro com parciais de 6/4, 6/1 e 6/1, em apenas 96 minutos.

Sem sofrer nenhuma quebra no jogo, Simon converteu seis de 11 break points e foi dominante nas últimas duas parciais para liquidar Rogerinho em sets diretos. Assim, o Brasil viu o seu último representante na chave de simples ser eliminado – antes da derrota desta quinta, Thomaz Bellucci e Thiago Monteiro haviam caído na estreia.

Outro favorito de destaque que avançou à terceira rodada nesta quinta foi o também francês Gael Monfils, sexto cabeça de chave, que levou um susto no terceiro set, mas passou pelo ucraniano Alexandr Dolgopolov com parciais de 6/3, 6/4, 1/6 e 6/0.

Assim, Monfils terá pela frente na próxima fase o alemão Philipp Kohlschreiber, 32º pré-classificado, que eliminou o norte-americano Donald Young por 7/5, 6/3 e 6/0.

Outro francês que atropelou para ir à terceira rodada nesta quinta-feira foi Richard Gasquet, 18º cabeça de chave, que aplicou triplo 6/1 sobre o argentino Carlos Berlocq e agora irá medir forças com o búlgaro Grigor Dimitrov, 15º favorito, que superou o sul-coreano Hyeon Chung por 3 a 1, de virada, com 1/6, 6/4, 6/4 e 6/4.

O belga David Goffin (11º cabeça de chave), os espanhóis Roberto Bautista Agut (13º) e David Ferrer (21º), o croata Ivo Karlovic (20º) e o alemão Alexander Zverev (24º) foram os outros favoritos que avançaram à terceira rodada nos outros jogos já encerrados nesta quinta em Melbourne. Já o italiano Fabio Fognini, algoz na estreia do espanhol Feliciano López, 28º pré-classificado, acabou caindo na segunda rodada diante do francês Benoit Paire, que triunfou em uma batalha de cinco sets que terminou com parciais de 7/6 (7/3), 4/6, 6/3, 3/6 e 6/3.