Curitiba Vôlei garantiu vaga na final da Superliga B. (Reprodução/Facebook)

Curitiba terá representante na Superliga Feminina depois de 14 anos. Representante da cidade, o Curitiba Vôlei garantiu a vaga na principal competição de voleibol do Brasil ao fechar o confronto melhor de três da semifinal da divisão de acesso por 2 a 0 contra São José dos Pinhais.

Depois de vencer o primeiro jogo fora de casa, o Curitiba Vôlei contou com o apoio da torcida, que lotou o ginásio do Círculo Militar, e venceu o confronto paranaense mais uma vez por 3 sets a 0. As parciais foram de 25-8, 25-23 e 25-9.

A última vez que o Paraná teve uma equipe na Superliga Feminina foi na temporada 2003-2004, com o extinto projeto do Rexona. Desde então, houve tentativas de recolocar o estado no mapa do voleibol, mas sem sucesso. No ano passado, o Clube Curitibano perdeu a final da divisão de acesso para Barueri.

Além do acesso, a equipe da capital segue em busca do título da Superliga B. O adversário da decisão será conhecido no próximo sábado (31), no confronto entre Londrina e Osasco. A final acontece em jogo único, no dia 09 de abril, na casa do time de melhor campanha.

O projeto do Curitiba Vôlei

O Curitiba Vôlei surgiu em agosto do ano passado com o objetivo de conquistar uma vaga na Superliga Feminina. O projeto desde o início é apadrinhado por Giba, considerado um dos maiores jogadores da história do vôlei, e por Gisele Miró, ex-tenista.

Na primeira competição, o Curitiba Vôlei terminou em segundo lugar na Taça Ouro e adiou o sonho de disputar a Superliga. Porém, o projeto continuou sob o comando de Clésio Prado e a liderança dentro de quadra da experiente Valeskinha, campeã olímpica com a seleção brasileira em 2008.

A segunda tentativa foi justamente na Superliga B. Depois da estreia com derrota para Londrina, o time curitibano não perdeu mais na fase de classificação e garantiu vaga direta para a semifinal. E no confronto de mata-mata, duas vitórias diante de São José dos Pinhais colocaram o Curitiba Vôlei na elite.