Victor Santos fez história ao participar da prova. (Divulgação)
O brasileiro Victor Santos fez nesta sexta-feira a sua primeira participação olímpica e terminou a disputa do esqui cross-country estilo livre de 15 quilômetros em 110º lugar nos Jogos de Pyeongchang, na Coreia do Sul. A prova foi vencida pelo suíço Dario Cologna.

Victor Santos completou os 15km da prova com o tempo de 47min09s9 nesta sexta. A competição contou com a participação de 118 esquiadores, sendo que 116 conseguiram concluir o percurso.

Ele foi, assim, 13 minutos mais lento do que Cologna, que assegurou a sua vitória com a marca de 33min43s9. Com isso, ele faturou a sua quarta medalha de ouro olímpica. O norueguês Simen Hegstad Krüger chegou 18s3 depois, conquistando a prata – em Pyeongchang, ele já havia vencido a disputa do esqui cross-country skiathlon de 30km.

E a 23s do vencedor, Denis Spitsov assegurou o bronze. Ele foi um dos atletas russos liberados pelo Comitê Olímpico Internacional a competirem sob uma bandeira neutra nos Jogos de Inverno.

Representante brasileiro na prova, Victor Santos surgiu para os esportes de inverno através do Projeto Social Ski na Rua. A iniciativa, focada em jovens da São Remo, favela localizada nas proximidades da Cidade Universitária da Universidade de São Paulo, permite que jovens pratiquem esqui. Antes disso, o atleta, de 20 anos, trabalhou como flanelinha e empacotador de supermercados. Agora, então, participou da Olimpíada na Coreia do Sul.

“Tenho muito a evoluir, só treino para valer há dois anos. Foi surreal estar aqui. Falo para os garotos que se você tiver oportunidade na sua vida, você tem que agarrar essa chance”, afirmou Victor Santos, em entrevista ao SporTV.

DESISTÊNCIA – Também nesta sexta-feira, Michel Macedo desistiu de participar da prova de Super G do esqui alpino nos Jogos de PyeongChang por causa de dores no joelho esquerdo. O problema o vem incomodando desde que o brasileiro sofreu uma queda durante treinamento em 6 de fevereiro. Ele ainda está inscrito em duas provas, no o Slalom Gigante, no sábado, e no Slalom Especial, na próxima quarta-feira.

“Senti dor durante a inspeção da pista hoje de manhã. A pista está bem dura e eu não estou me sentindo cem por cento para uma prova como é o Super G. Essa prova exige muito da perna e do joelho”, disse. “Para não arriscar uma lesão que me tire das outras provas, eu preferi deixar essa passar e competir nas duas próximas. Eu fico muito mais confortável fazendo as provas técnicas. Vou seguir no tratamento e me preparar para disputar as provas que faltam”, completou o atleta de 19 anos.

O austríaco Matthias Mayer venceu a disputa com o tempo de 1min24s44, faturando a segunda medalha de ouro da sua carreira. Bronze no downhill em Pyeongchang, Beat Feuz assegurou a prata com a marca de 1min24s57. Já o norueguês Kjetil Jansrud, prata no downhill, foi o terceiro colocado, com 1min24s62.